Soja plantada para pesquisa em Mato Grosso será apreendida

Desembargador Mário Roberto Kono de Oliveira concedeu liminar ao Ministério Público, que já ingressou 14 ações públicas para a destruição de grãos

A Justiça de Mato Grosso mandou apreender a soja produzida no plantio experimental realizado por produtores ligados à Associação dos Produtores de Milho e Soja (Aprosoja). 

A decisão é do desembargador Mário Roberto Kono de Oliveira. Ele concedeu uma liminar (decisão provisória) ao Ministério Público do Estado (MPE), determinando que a colheita oriunda do projeto seja armazenada em silos a serem indicados pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea).  

Segundo o magistrado, a medida visa a impedir que produtores usem produção oriunda do plantio considerado ilegal.  

O Ministério Público contesta a qualidade da soja produzida em período de entre safra em Mato Grosso. Segundo o órgão, o plantio no mês de fevereiro expôs o grão a maior contágio de pragas, como da ferrugem asiática. 

Argumenta ainda que o cultivo fora do tempo facilita a disseminação de doenças para outras áreas de cultivo. O MP defende que seja seguido calendário oficial de plantio, entre 16 de setembro e 31 de dezembro.

O Ministério Público já ingressou com 14 ações civis públicas para a Justiça determinar a destruição das lavouras experimentais e a condenação da Aprosoja  e de produtores rurais “na reparação dos danos ambientais e econômicos advindos deste plantio”.  

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorProcurando uma live? 23 artistas nacionais têm mais uma semana do festival “Fique em Cena”
Próximo artigoJuiz manda Câmara dos Vereadores devolver mandato a Abílio Junior