Grupo de médicos diz que vai assumir gestão do Jardim Cuiabá

O hospital passará a ser administrado pelo grupo de 12 médicos que são sócios majoritários e proprietários da estrutura hospitalar

O anúncio da possibilidade de o Hospital Jardim Cuiabá ser fechado dentro 30 dias pegou a todos de surpresa. Porém, o grupo de 12 médicos sócios majoritários e proprietários da estrutura hospitalar emitiu uma nota afirmando que irão assumir a gestão e o hospital não será fechado.

O contrato de arrendamento com a atual gestora do hospital, que já durava 15 anos, foi rescindido por ordem judicial. Com isso, a atual administração precisa deixar o cargo até o dia 19 de abril.

“A Justiça Estadual, com base nos fartos elementos de prova constantes dos autos do processo, entendeu que a disposição patrimonial praticada pela atual gestão, sem a devida autorização da referida sociedade médica, colocaria em risco a prestação dos serviços em favor da sociedade mato-grossense”, consta na nota dos donos do empreendimento.

Porém, segundo o grupo de médicos, ao contrário do que foi divulgado em nota pela atual gestão do hospital, a rescisão não deverá ameaçar em nada o atendimento dos mais de 6 mil pacientes do Jardim Cuiabá, tampouco atingirá aos funcionários.

O grupo disse ter plenas condições de reassumir a gestão da unidade hospitalar, inclusive tendo os documentos para o funcionamento.

“O compromisso da nova gestão é o de manter integralmente a estrutura do hospital com todos os equipamentos atualmente existentes e preservar a relação com os fornecedores. Logo, não haverá risco de interrupção dos serviços de saúde ofertados à população”, afirmaram.

Os donos da estrutura repudiaram a nota da atual administração do Hospital Jardim Cuiabá, dizendo que eles, inconformados com a decisão da Justiça, estão tentando “deturpar de forma pública e irresponsável a realidade dos fatos, causando uma desordem social”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSupremo começa a julgar pedido de habeas corpus de Palocci
Próximo artigoPF tem 60 dias para concluir investigações de suposto repasse indevido a Maggi