Governo decide não reabrir escolas e encerrar o ano letivo em dezembro em MT

Em nota publicada nessa sexta-feira (23), a Seduc anunciou que seguirá a recomendação médica de não reabrir escolas, mas encerrará no calendário 2020 daqui a 45 dias

(Foto: Davi Vittorazzi)

O governo de Mato Grosso decidiu estender o isolamento social para as atividades escolares – e as escolas da rede estadual não serão reabertas mais este ano. A decisão foi anunciada no começo da noite dessa sexta-feira (23). 

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que, seguindo recomendações médicas, decidiu pela permanência das atividades no modelo exclusivamente remoto. 

Ainda decidiu que não irá estender o calendário como era cogitado após a autorização do governo federal. O ano letivo 2020 será encerrado no dia 18 de dezembro. 

“As aulas da rede pública estadual de ensino serão concluídas neste ano de 2020 de forma não presencial e irão até o dia 18 de dezembro. Ou seja, não haverá retorno de estudantes para aulas presenciais nas escolas neste ano”, informa a nota. 

A situação das aulas vinha sendo especulada até sobre eventual junção com os calendários de 2020 e 2021, por causa do tempo sem aplicação oficial de conteúdo contado pela Seduc. 

Aprendizagem prejudicada

Especialistas em educação afirmam que a irregularidade na condução das aulas deve prejudicar a aprendizagem dos alunos, principalmente daqueles que não possuem condições de trabalhar por si mesmos. 

As aulas foram suspensas no fim de março na rede estadual e voltaram a ser aplicadas online no começo de agosto. 

Na próxima semana, conforme a Seduc, deverão ser anunciadas as regras de como avaliações e outros atividades escolares deverão ser aplicadas para a conclusão do ano letivo.  

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMenino de cinco anos é abusado sexualmente pelo marido da babá
Próximo artigoAngústia, tristeza e obesidade: como a quarentena vem afetando as crianças