Golpes na OLX: polícia paulista cumpre mandados em Cuiabá

Somente em um golpe, o estelionatário conseguiu obter R$ 26 mil de uma vítima que pretendia adquirir um veículo

Foto: PJC MT

Quatro mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na manhã desta quinta-feira (22) em Cuiabá em uma operação da Polícia Civil de São Paulo, com apoio da Polícia Civil de Mato Grosso, com objetivo de apurar a atuação de um grupo envolvido na aplicação de golpes cometidos por meio do site de compra e venda pela internet OLX e pelo WhatsApp.

A operação Camaleão, deflagrada pelo Setor Especializado no Combate à Corrupção, Organização Criminosa e Lavagem de Dinheiro (Seccold) da Seccional de Guaratinguetá (SP), constitui a fase externa de uma investigação de crimes de estelionato cometidos pelas plataformas OLX e WhatsApp.

O trabalho conta com apoio da Delegacia Especializada de Combate a Corrupção (Deccor), Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), Gerência de Operações Especiais (GOE) e Delegacia de Diamantino.

Após instauração de inquérito policial e emprego de técnicas de investigação, foram colhidos indícios de autoria e materialidade que apontam a participação de ao menos quatro pessoas residentes em Cuiabá envolvidas no crime.

LEIA TAMBÉM

Clonagem de WhatsApp: muita gente ainda cai nessa

No golpe aplicado em um vendedor e um comprador de veículos anunciante na plataforma OLX, ambos residentes em Guaratinguetá, o estelionatário conseguiu obter R$ 26 mil da vítima que pretendia adquirir o veículo.

Com base nas investigações, a Seccold representou ao Juízo de Guaratinguetá pelo sequestro do valor da pessoa titular da conta bancária destino da vantagem ilícita, bem como pelo deferimento dos  quatro mandados de busca e apreensão domiciliar em quatro endereços localizados em Cuiabá, com objetivo de apreender aparelhos celulares e outros elementos que possam contribuir com as investigações.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Não se pode falar de proteção sem falar de desenvolvimento”, diz Damares sobre Amazônia
Próximo artigoMais seguros? Crimes contra o patrimônio caem no 1º semestre de 2020 em MT