“Não se pode falar de proteção sem falar de desenvolvimento”, diz Damares sobre Amazônia

Para a ministra, é fundamental levar o desenvolvimento econômico para garantir os direitos humanos e a preservação ambiental

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves falou nesta quarta-feira (21) sobre a preservação da Amazônia. Em um evento realizado de forma online pelo BNDS, Damares abordou maneiras eficientes de conciliar desenvolvimento e preservação nos biomas brasileiros.

“Não se pode falar de proteção sem falar de desenvolvimento. Chega de hipocrisia. Esse debate tem que continuar”, disse a ministra sobre a Amazônia.

Damares ainda ressaltou a importância de levar o desenvolvimento para a região Norte do país. Para a ministra, apenas levando o desenvolvimento econômico para a região é possível garantir o mínimo dos direitos humanos.

“Todo mundo sabe da violação dos direitos na Amazônia. Nossas crianças são vendidas para exploração sexual. As imagens são muito fortes. Temos aquele pescador pequeno que mora aqui, ele precisa de óleo para o barco, para pescar e sustentar família. Como vai comprar óleo? Aí vem as grandes embarcações. E a filha dele, de 6 anos, entra na grande embarcação para ser explorada sexualmente. A menina entra, com conivência dos pais, para ganhar R$ 2. Fazem programa na Amazônia por R$ 0,20. Depois do corpinho da menina ser consumido, ela desce com R$ 2 ou R$ 3 para entregar ao pai. Isso é violação de direitos humanos. Como vou combater pedofilia, se não levo desenvolvimento?”, narrou a ministra.

O ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos vem realizando ações na região para levar cidadania e visibilidade para as comunidades isoladas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMT tem o 3º maior aumento nos casos de feminícidio do Brasil
Próximo artigoGolpes na OLX: polícia paulista cumpre mandados em Cuiabá