Emanuel Pinheiro diz que tem sido “hostilizado terrivelmente” pelo governador

Em entrevista coletiva, prefeito de Cuiabá explicou por que não compareceu ao desfile de 7 de setembro

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Ausente no desfile cívico promovido pelo governo do Estado em comemoração à Independência do Brasil, no dia 7 de setembro, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) foi direto ao se justificar: não apareceu para evitar “constranger” o governador Mauro Mendes (DEM).

“Eu não vou ficar medindo palavras, não. Vou ser franco. O governador tem me hostilizado terrivelmente em público. Tem, por algumas vezes, faltado com o respeito comigo, como prefeito da Capital. Então, se ele não me quer do lado dele, para que eu vou constrangê-lo?”.

A afirmação foi dada em entrevista coletiva realizada na terça-feira (10). Na oportunidade, Emanuel Pinheiro ainda esclareceu que também não pediu para que seu vice, Niuan Ribeiro (Podemos), o representasse no evento.

Sobre a relação com o governador Mauro Mendes, o prefeito disse não saber o motivo da suposta hostilidade e lembrou que nem sempre foi assim.

“Eu não sei [porque ele está incomodado com a minha presença]. Gostaria de saber também. Bem diferente de quando eu fui coordenador da campanha dele. Sempre nos demos super bem”.

Mas Emanuel minimizou: “a gente dialogando institucionalmente, resolvendo os problemas da população, já me basta. Não precisa ficar batendo foto”.

A reportagem do LIVRE procurou a assessoria do governador Mauro Mendes, que afirmou que não irá comentar as declarações do prefeito.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS