Em dia de mobilização nacional, servidores de MT vão à Assembleia

Fórum Sindical voltou a cobrar uma "solução" para o não pagamento da RGA de 2018

(Foto: Fablício Rodrigues/ALMT)

Servidores públicos de Mato Grosso aproveitaram esta quarta-feira (15) – dia de paralisação nacional contra os cortes no orçamento da educação – para pedir apoio dos deputados estaduais nas pautas que beneficiam a categoria.

Eles estiveram na Assembleia Legislativa cobrando uma defesa mais firme por parte do Legislativo contra o impedimento – determinado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) – ao pagamento de 2% da Revisão Geral Anual (RGA) de 2018.

Um dos diretores do Fórum Sindical, Oscarlino Alves argumentou que, ao impedir o pagamento da RGA votada em 2017 e sancionada pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB), o TCE feriu o Poder Legislativo de Mato Grosso.

“Viemos cobrar um posicionamento da presidente da Assembleia Legislativa, deputada Janaina Riva (MDB), para que ela convoque o governador Mauro Mendes (DEM) para dar um posicionamento concreto de quanto vai passar a pagar o nosso salário em dia”, disse o sindicalista.

Na avaliação de Oscarlino, os salários dos servidores públicos não estão em dia, já o governo tem parcelado os pagamentos.

O sindicalista cobrou ainda uma posição mais clara do governo quanto ao pagamento integral da folha no dia 10 do mês subsequente ao trabalhado. Segundo Oscarlino, o governador tem dito que isso ocorrerá já a partir de julho, enquanto que o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, diz que só será possível em dezembro.

Na última sexta-feira (10), segundo informações do governo, 80% dos mais de 115 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas receberam os salários integralmente. Na oportunidade, o Executivo depositou até R$ 5,5 mil para cada um.  A segunda parcela, de R$ 2 mil, foi depositada nesta terça-feira (14).

Oscarlino ainda criticou a decisão do governo de mudar a data de pagamento do 13º salário. Segundo ele, o governo anterior tinha decidido fazer o pagamento ao longo do ano – os servidores recebiam nos meses em que completavam aniversário – justamente para ajudar no fluxo de caixa.

A gestão Mauro Mendes decidiu pagar o benefício apenas no fim do ano o que, segundo o sindicalista, prejudicou muitos servidores que já fizeram empréstimo usando o recurso como seguro para o pagamento.

A reunião foi acompanhada por deputados da base governistas e por deputados de oposição. O deputado estadual João Batista (Pros), que é servidor de carreira do Estado, disse que a presidente em exercício da Assembleia, Janaina Riva, vai fazer a ponte com o governo para levar as demandas dos servidores.

Já o líder do governo, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), deve intermediar um novo encontro das categorias com o governador Mauro Mendes. O Fórum Sindical já esteve com o democrata no início do mês. Na oportunidade, Mendes disse que não abriria uma guerra com os demais Poderes, reduzindo duodécimos para pagar dívidas do Executivo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuarta temporada de Rick and Morty estreia em novembro; Confira o vídeo:
Próximo artigoNetflix deve perder milhões de assinantes após saída da Disney, revela pesquisa