Decreto do governo: Municípios com risco muito alto terão que fazer quarentena de 10 dias

Decreto de Mauro Mendes reativa o sistema de classificação de risco, de acordo com o nível de contágio (baixo, moderado, alto e muito alto

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Com a taxa de ocupação de leitos em 98%, o governador Mauro Mendes (DEM) anunciou novas medidas para tentar conter o avanço da covid-19 no Estado. Em novo decreto, o chefe do Executivo apertou as medidas restritivas pelos próximos dias.

Entre elas, a proibição de consumo de bebida alcoólica nos locais de venda, ainda que dentro dos horários permitidos para funcionamento.

O documento também prevê reduzir aglomeração nos ônibus do transporte coletivo. Para isso, o governador determina que, em até 48 horas, todos os municípios editem uma norma para escalonar a abertura e o fechamento das atividades do comércio, indústria e serviços.

O decreto também traz outras mudanças:

  • O funcionamento das atividades econômicas passa a vigorar das 5h às 20h;
  • Toque de recolher a partir das 21h;
  • Farmácias, imprensa, hospedagem, serviços de guincho, segurança e vigilância privada, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências), indústrias, transporte de alimentos e grãos, e serviços de manutenção de atividades essenciais, como água, energia, telefone e coleta de lixo, bem como dos funcionários, prestadores e consumidores das atividades poderão funcionar após as 20h;
  • Sistema de delivery fica autorizado a funcionar até às 23h59.

Classificação de risco

Além das medidas, o decreto reativa o sistema de classificação de risco, que recomenda as medidas mais adequadas aos municípios, de acordo com o nível de contágio (baixo, moderado, alto e muito alto).

O sistema de classificação é feito com base nos dados de crescimento da contaminação, na taxa de ocupação das UTIs e também pelo número de casos ativos.

Nos últimos 15 dias, 50 dos 141 municípios estavam classificados com risco muito alto. Entres eles, Cuiabá e Várzea Grande. Para eles, o governo prevê quarentena obrigatória de 10 dias, suspensão de aulas presenciais em creches, escolas e universidades e barreira sanitária.

Veja aqui todas as medidas prevista para cada nível, de acordo com a classificação.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Vida e emprego foram as preocupações do nosso governo no combate à pandemia”, diz Bolsonaro
Próximo artigoCasos de covid-19 podem dobrar em MT até setembro, diz estudo