Cuiabá é referência em ortopedia oncológica pelo SUS

Além do atendimento, também são realizadas cirurgias para o tratamento de tumores ósseos, com a utilização de endopróteses reduzindo os risco e complicações

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Apesar de não ser muito falado, o câncer também pode atingir os ossos, tendões, cartilagens e músculos que compõem o sistema locomotor do corpo humano. Os sintomas costumam ser discretos e variados, e por ser mais raro que outros tumores, é importante estar atento a algumas alterações como dor, inchaço nas articulações e fraturas frequentes. Mas a quem recorrer nestes casos? A especialidade médica responsável é a ortopedia oncológica, que além de tratar, realiza diagnósticos e até mesmo cirurgias, que acaba sendo o tratamento principal para a maioria dos tumores ósseos.

Até pouco tempo atrás, em Mato Grosso os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) tinham que ser enviados para outros estados para realizar o tratamento ou os procedimentos necessários. O que fazia com que ficassem um longo tempo na fila de espera, gerando, consequentemente, possível agravamento da doença, uma vez que o tratamento precoce é sempre a melhor forma de amenizar os efeitos dos tumores.

Hoje, os pacientes do SUS em Mato Grosso já contam com um atendimento especializado em ortopedia e traumatologia, e que, atualmente, é referência na ortopedia oncológica, inclusive, com cirurgias inovadoras como as de endopróteses, e as reparadoras. Os atendimentos são realizados por profissionais da empresa Medtrauma no Hospital Santa Casa de Cuiabá, e atende pacientes transferidos via Central de Regulação.

A coordenadora do trabalho na Medtrauma, Polyana Zarbin, explica que são feitas 25 consultas por semana, pelo Sistema Único de Saúde, e duas cirurgias semanais, o que é um grande avanço para a saúde, uma vez que nunca havia sido feita no estado. “Era um procedimento muito caro e não tinha profissionais capacitados, mas hoje temos nomes de referências que realizam os atendimentos e cirurgias complexas para o tratamento do tumor ósseo”.

Uma das vantagens do atendimento ocorrer no estado é permitir que o paciente receba todo o acompanhamento médico necessário no pós-cirúrgico. Polyana explica que a recuperação é muito demorada e a reabilitação é de longo prazo. Com a possibilidade de o paciente ser tratado no mesmo estado, isto permite menos deslocamentos, também facilita para que possa receber ajuda de parentes, e também gera economia ao Estado, que antes precisava custear todo o tratamento fora de Mato Grosso.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuais são os setores que mais vão se beneficiar do 5G no Brasil?
Próximo artigoEspecialista dá dicas para evitar cair em golpes em apps de relacionamento