Cuiabá: calor intenso aumenta consumo de energia e também de água

Período de altas temperaturas e umidade do ar baixa mudam o comportamento da população que precisa estar atenta para lidar com o clima sem deixar de pensar no impacto financeiro

O calor intenso que persiste há dias já tem trazido uma mudança no comportamento da população, como o uso prolongado de equipamentos elétricos, como o ar condicionado.

Para evitar surpresas o bolso ao final do mês, o professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e especialista em energia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Danilo Ferreira de Souza explica que a eficiência dos equipamentos elétricos, de modo geral, diminui sensivelmente com o aumento da temperatura.

Durante o período de elevadas temperaturas, normalmente entre julho e outubro, os equipamentos de condicionamento térmico (geladeira, ar-condicionado) são mais solicitados, reforça Souza.

O professor informa que os dados da “Pesquisa de posse de equipamentos e hábitos de uso” da Eletrobrás/PROCEL, na região Centro-Oeste, em média o Condicionamento Ambiental (ventilador, ar-condicionado, resfriamento evaporativo) corresponde a 20% do consumo da conta de energia elétrica, a geladeira é responsável por aproximadamente 22% do consumo dos mato-grossenses e o freezer de 5%.

“Somadas, estas cargas são responsáveis por 47% do consumo total, podendo ser consideradas as vilãs do consumo de energia elétrica no referido período. Assim, os usuários devem ter uma atenção especial para estes equipamentos, que naturalmente irão ‘trabalhar mais’, como se diz popularmente”, orienta o docente.

O especialista lembra ainda que, no período seco como o atual, mais um equipamento elétrico entra na conta, é o caso do umidificador de ar.

“No caso da umidade do ar baixa, a recomendação é de utilizar um umidificador de ar para evitar uma série de sintomas advindos de ambientes extremamente secos”, recomenda Souza.

Equipamentos eletrônicos

O especialista aproveita para indicar algumas ações a serem adotadas pelos consumidores para amenizar um pouco os impactos a serem sentidos.

Com relação aos aparelhos de ar condicionado, Souza orienta a compra com o correto dimensionamento para o ambiente a ser utilizado;

“Deve-se buscar sempre que possível pela compra de equipamentos selo emitido pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem preferencialmente classe A. Aqueles que são energeticamente mais eficientes”, frisa.

(Foto: Helena Lopes / Pexels)

O professor lembra ainda que é preciso garantir que ao ligar o ar condicionado, as janelas e portas do ambiente estejam devidamente fechadas. O aparelho deve ser programado com temperaturas entre 21ºC e 24ºC;

“Limpe os filtros do ar condicionado a cada 15 dias. E faça uma higienização completa com uma empresa especializada entre seis meses e um ano”, recomenda. “A sujeira dificulta a passagem do ar e reduz a eficiência do equipamento”, explica o professor.

Souza pontua ainda que sobre geladeira e freezer a orientação é pela instalação em espaços fora do alcance da irradiação solar direta e também mais distante das paredes quentes pela irradiação solar.

“Não guarde alimentos quentes e procure reduzir a abertura dos equipamentos, assim a conservação da temperatura interna será mantida com menor solicitação ao compressor”, complementa.

Bandeira vermelha

A Energisa, concessionária de energia, pontua que é preciso que o cliente entenda a conta. A empresa explica que o valor pago é uma junção de consumo de energia, tarifas e impostos. E, quanto maior é o consumo, maior é o imposto.

Outro ponto importante é identificar a bandeira tarifária vigente. Quando a bandeira está verde, significa que as hidrelétricas estão cheias e suprindo todas as demandas.

No caso das bandeiras amarelas e vermelhas, elas são utilizadas em períodos de seca. É a situação atual, com bandeira vermelha patamar dois.

A medição dos efeitos desse aumento será feita ao final deste mês pela empresa.

Mais água

(Agência Brasil)

O aumento no consumo de água já foi contabilizado pela concessionária responsável pelo abastecimento da Capital. Durante esse período de seca, esse crescimento foi de 30%.

A Águas Cuiabá lembra que a última chuva aconteceu em 11 de junho. A previsão é que neste domingo (29) tenha alguma ocorrência de chuva, mas sem muita expressividade.

Diante da seca e desse aumento, a Concessionária reforça que é preciso zelar pelo consumo consciente. Portanto, evite desperdício lavando calçadas e carros, que os banhos sejam mais rápidos, fechar a torneira enquanto ensaboa a louça. São pequenos gestos mas que podem trazer grandes efeitos.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorUnic de Primavera do Leste oferece atendimento psicológico gratuito
Próximo artigoMato Grosso recebe 43.460 doses de vacina contra a covid-19 nesta segunda e terça-feira