Covid em MT: Mauro Mendes entrega 210 novos leitos no Hospital Metropolitano

São 30 novos leitos de UTI e 180 novos leitos de enfermaria prontos para atender pacientes com covid-19

(Foto: Maros Vergueiro/Secom-MT)

O governador Mauro Mendes (DEM) inaugurou nesta quinta-feira (14) a ampliação do Hospital Metropolitano de Várzea Grande, que passa a ser o centro de referência no atendimento a pacientes com covid-19 no Estado.

Depois de 53 dias de obras, e o investimento de R$ 16,5 milhões aplicados na instalação de 30 novos leitos de UTI e 180 de enfermaria. Com a estrutura que já existia no hospital de 10 leitos de UTI e 58 de enfermaria, o metropolitano passa a ter 278 leitos no total.

O governador Mauro Mendes destacou que a opção pela criação de leitos – ao invés de construção de hospital de campanha – como tem acontecido em outros Estados é mais econômica.

A médica Karla Lorena de Melo, responsável técnica pela UTI explica que a equipe do hospital já está preparada para atender aos pacientes que porventura precisarem da unidade.

No vídeo, a médica Karla explica como funciona o leito de UTI.

Conforme explicou a assessoria de imprensa do Estado, por enquanto a estrutura deve ficar em standy by enquanto o pronto-socorro da capital estiver com capacidade de atendimento.

Contrato emergencial

Mauro destacou que as duas empresas que foram contratadas em regime de emergencial – com dispensa de licitação em razão da necessidade de saúde pública – foram escolhidas pela expertise de mercado.

Todos os 30 novos leitos de UTI no Hospital Metropolitano possuem respiradores mecânicos, que são essenciais para tratar os casos mais graves de covid-19 (Foto: Maros Vergueiro/Secom-MT)

“Escolhi duas construtoras que tinham terminado de construir o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) – a Concremax e a Lotuffo – que foi uma obra que licitei enquanto era prefeito da capital. Essas duas empresas ganharam a licitação à época, e mostraram competência, tem experiência, são empresas cuiabanas, com nome de mercado de longa data e capacidade técnica e financeira de entrar numa obra dessa”.

Hospital de campanha seria mais caro

Mauro destacou que antes de decidir em fazer a obra definitiva, fez dois orçamentos com empresas que construíram hospitais de campanha em São Paulo. Os valores se situaram em R$ 15 e R$ 16 milhões, respectivamente, para o aluguel da estrutura por quatro meses.

“Isso o que estamos fazendo aqui é um pouco do que estamos fazendo em outras unidades do Estado. Eu prometi na campanha 2018 que iria fazer a saúde funcionar, e isso requer muita coisa. Não é porque é SUS que tem que ser porcaria e xexelento, de segunda ou de terceira qualidade, aqui tem cama elétrica que é igual tem nos melhores hospitais privados de Mato Grosso”.

São 180 novos leitos de enfermaria no Hospital Metropolitano prontos para receber pacientes com covid-19 (Foto: Maros Vergueiro/Secom-MT)

O secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo destacou a qualidade da obra e afirmou que muitos torceram contra, para que o governo não entregasse dentro de um prazo tão curto quanto prometido.

“Já percorremos 25% da trajetória, e já podemos perceber que esse Estado é sério, que paga seus compromissos na área da saúde, que moderniza e faz com qualidade. Não estamos com pressa de sair por aí fazendo gambiarra. Cada obra que se fizer e se inaugurar neste Estado será com qualidade em respeito à população”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAs famílias e seu dia: como comemorar?
Próximo artigoCasal é detido ao aplicar testes rápidos de covid-19 e dizer que trabalhava para o Ibope

O LIVRE ADS