Compras pela internet crescem em Cuiabá durante a pandemia

Alimentos e bebidas foram os itens mais consumidos e a maioria dos clientes não se decepcionou com o prazo de entrega

(Foto: Freepik)

Quase 100% aprovadas. Na Cuiabá, mais de 93% dos consumidores que fizeram compras online não se decepcionaram com o prazo de entrega estimado pelas empresas. A “nova” forma de adquirir produtos, aliás, teve um aumento de quase 17% nos últimos meses na Capital.

Os dados constam em uma pesquisa divulgada pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). O levantamento leva em conta os hábitos de consumo das pessoas durante o período de isolamento social, necessário por conta do novo coronavírus.

O destaque é para a geração X – formada por pessoas com idade entre 41 e 55 anos. Eles consumiram 54% a mais do que consumiam em “tempos normais”, antes da pandemia.

Os serviços mais procurados foram de alimentos e bebidas, com 56% da preferência. Em seguida, aparecem cosméticos e beleza (10,3%), acessórios para eletrônicos e periféricos (7,2% ), artigos automotivos (5,1%) e medicamentos e suplementos (4,1% ).

Os aplicativos são os meios mais usados. Cerca de 31% dos entrevistados estão comprando por eles. Outros 28,3% estão usando o WhatsApp e falando diretamente com a empresa.

LEIA TAMBÉM

Os demais consumidores usam sites – os chamados e-commerce -, o telefone ou outras redes sociais como Instagram e Facebook.

Insegurança na hora da compra

Apesar da comodidade e praticidade, compras pela internet ainda provocam receio.
Os entrevistados dessa pesquisa foram questionados sobre os principais medos na hora de adquirir um produto/serviço online.

Pagar por algo de baixa qualidade foi a resposta de quase 23% dos entrevistado. A não garantia da entrega do produto teve 19% das respostas e exposição dos dados ficou com 17,6%.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBloqueio nacional: sete municípios de MT deixam de receber R$ 1,4 milhão
Próximo artigoVotação da reforma da previdência é adiada para a próxima semana em MT

O LIVRE ADS