Apesar de variação positiva, a valorização da pecuária está abaixo da inflação

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A pecuária bovina mato-grossense deverá atingir o melhor resultado dos últimos quatro anos de acordo com o primeiro levantamento do Valor Bruto da Produção (VBP) de 2019, estimado em R$ 12,421 bilhões. A estimativa de crescimento do VBP de 2018 para 2019, porém, está abaixo da inflação calculada no período.

Na comparação anual, a bovinocultura deve registrar aumento de 2,8% frente o VBP de 2018, fechado em R$ 12,081 bilhões. De acordo com a pesquisadora e consultora em pecuária Mariane Crespolini, explica que é preciso se atentar que não houve ganho real. “Se analisar os índices, percebemos que o incremento no valor bruto da pecuária está abaixo da inflação. É um número positivo, mas que não representa ganho ao pecuarista”. A inflação, calculada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2018 fechou em 7,1%.

Mariane afirma que ao comparar com a agricultura, que registrou queda no VBP, existe uma vantagem para os produtores que fazem pecuária intensiva porque terão maior poder de compra sobre os insumos provenientes da lavoura, como soja e milho. Mas que de modo geral, a situação é de perda de renda para quem está na atividade.

Para o presidente do Instituto Mato-Grossense da Carne (IMAC), Guilherme Linhares Nolasco, os preços internos estão melhores, sustentados pela maior demanda externa da carne e também pelo aumento no abate de fêmeas nos últimos anos. Porém a remuneração pela carne está menor principalmente no mercado externo.

[featured_paragraph]“O preço da carne no mercado internacional estar menor. É a demanda crescente que tem sustentando os preços internos da arroba do boi. No mercado de reposição, como houve crescimento do abate de fêmeas, o bezerro está mais caro, o que contribuiu para que a desvalorização da pecuária não fosse ainda mais acentuada”. afirma Guilherme Nolasco. [/featured_paragraph]

Em fevereiro, o preço médio da arroba do boi gordo está R$ 136,94, uma valorização de 3,8% em relação ao registrado em fevereiro de 2018, porém abaixo da inflação. Os dados do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) também apontam que o valor do bezerro passou de R$ 1.184 em fevereiro do ano passado para R$ 1.241, alta de 4,8%.

Leia mais:

Mato Grosso implanta selo de origem da carne
Instituto da Carne de Mato Grosso: a crônica de uma morte anunciada
Imac: Agora vai

IMAC

Criado em 2016, o Instituto Mato-Grossense da Carne (IMAC) é um Serviço Social Autônomo formado por representantes do setor produtivo, da indústria, do estado e da sociedade para promover a carne de Mato Grosso.

Com uma plataforma de verificação de origem, fomento a pesquisas e ações estratégicas de marketing, o IMAC visa estimular o consumo da carne de Mato Grosso em todo o mundo, assegurando a legalidade o processo produtivo aos consumidores e o desenvolvimento sustentável de toda a cadeia produtiva da carne.

Este será o primeiro instituto para verificação de origem da carne implantado no Brasil e tem inspiração em modelos existentes em países como Uruguai, Estados Unidos, Argentina, Nova Zelândia e Austrália

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem invade a casa da vizinha e tenta estuprá-la na frente da filha dela
Próximo artigoNascidos em março e abril começam a receber abono salarial do PIS 2017