Airton Siqueira, Rogers Jarbas, Paulo Taques e mais cinco são presos pela Polícia Civil

Ednilson Aguiar/O Livre

coronel Siqueira Júnior

coronel Siqueira Júnior

Os secretários de Estado de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Siqueira, e de Segurança Pública, Rogers Jarbas, além de mais seis pessoas, são alvos de mandado de prisão pedidos pelos delegados de polícia Flávio Stringuetta e Ana Cristina Feldner e concedidos pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Orlando Perri.

O ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, e o ex-chefe da Casa Militar, coronel Evandro Lesco, também foram presos na operação deflagrada na manhã desta quarta-feira. A esposa de Evandro, Helen Lesco, além do empresário José Marílson da Silva, também já estão presos.

No total, serão cumpridos oito mandados de prisão, 16 mandados de busca e uma condução coercitiva (Veja relação abaixo).

O nome da operação é “Esdras” que, no hebraico, significa ajudador, é um livro bíblico que cinta a história de um escriba e de pessoas fiéis que venceram a oposição e a resistência para construir um temple.   

As investigações são relacionadas ao esquema dos grampos clandestinos operados por policiais militares no seio do governo estadual.

Grampos

A denúncia sobre o esquema, que acabou conhecido como “grampolândia pantaneira”, foi feita pelo promotor de Justiça Mauro Zaque, ainda em 2015, quando era secretário de Justiça do governo do Estado.

O esquema ilegal teria sido utilizado para gravar mais de 700 pessoas, entre adversários políticos, jornalistas, advogados, médicos e até mesmo amantes. O método utilizado ficou conhecido como “barriga de aluguel”, que é quando números sem conexão com uma investigação são inseridos em pedidos de quebra de sigilo à Justiça.

Confira os nomes dos presos na operação:

PAULO CESAR ZAMAR TAQUES
CEL. PM AIRTON BENEDITO DE SIQUEIRA JÚNIOR
ROGERS ELIZANDRO JARBAS
CEL. PM. EVANDRO ALEXANDRE FERRAZ LESCO
SGT. PM JOÃO RICARDO SOLER
MAJOR PM MICHEL FERRONATO
HELEN CHRISTY CARVALHO DIAS LESCO
JOSÉ MARILSON DA SILVA

Alvo de medidas cautelares:
MARCIANO XAVIER DAS NEVES

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAuditoria mostra que Corinthians ainda precisa pagar quase R$ 2 bilhões por arena
Próximo artigoDoria promete revitalização no centro de São Paulo

O LIVRE ADS