Wilson Santos será investigado por suposta prática de crime eleitoral

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O deputado estadual licenciado Wilson Santos (PSDB) será investigado em Inquérito Policial por suposta prática de crime eleitoral cometido na campanha para prefeito de Cuiabá, em 2016. A instauração do inquérito foi autorizada no último dia 26 pelo juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Ricardo Gomes de Almeida.

A investigação é motivada por denúncia do médico Mário Pinheiro Espósito, primo do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (PMDB), que alega ter sido ofendido pelo tucano durante entrevista que concedeu a um veículo de comunicação de Cuiabá. Conforme a denúncia, Wilson Santos teria imputado fatos ofensivos a reputação do médico com o intuito de atingir seu principal adversário.

Em seu parecer, a Procuradoria Regional Eleitoral afirmou existirem fortes indícios da prática do crime eleitoral noticiado. “A materialidade está estampada às fls.23/31, ao passo que há elementos probatórios indicativos de que o requerido seja, de fato, o autor do delito”.

Frente ao exposto, o magistrado autorizou, monocraticamente, a abertura do inquérito, remetendo os autos a Secretaria da Delegacia da Policia Federal de Cuiabá para investigação, com prazo de 60 dias para conclusão. “Verifico que estão presentes os indícios da prática da citada conduta por parte do Deputado, ora requerido. Com essas considerações, autorizo a instauração de Inquérito Policial para investigação dos fatos descritos na inicial e apuração de eventual prática do crime eleitoral previsto nos artigos 325 c/c 327, III, ambos do Código Eleitoral”.

Outro lado

Por meio da assessoria de imprensa, Wilson Santos informou que ainda não foi notificado da decisão, então não tem nada a declarar.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIntolerância à lactose política
Próximo artigoComunidade universitária defende continuidade da obra do Hospital Universitário

O LIVRE ADS