UFMT faz defesa póstuma de tese e professor ganha título de mestre após morrer de covid

Dimas da Silva Marques morreu em abril deste ano, antes de apresentar a conclusão do trabalho e receber (em vida) o título de mestre

(Foto: UFMT)

Dimas da Silva Marques morreu no final de abril, em decorrência da covid-19, antes de conseguir entregar sua tese de mestrado. Ele era pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Tecnologia da Informação e da Comunicação na Educação (LêTECE).

Na terça-feira (29), porém, a UFMT realizou uma homenagem ao então mestrando: a defesa póstuma de seu trabalho de conclusão do curso, que investigava a Educação a Distância (EaD).

Essa foi a forma encontrada pelos familiares e amigos de Dimas para honrar a memória do pesquisador.

“A importância dessa defesa póstuma é, primeiramente, a de publicar o esforço que Dimas teve em sua trajetória acadêmica”, afirmou o orientador, professor Alexandre Martins dos Anjos.

Com a apresentação do trabalho, Dimas recebeu o título de mestre pela UFMT.

“Essa é uma singela homenagem, mas é o que podemos traduzir em termos de nosso sentimento e de nossa dor”, ressaltou Kátia Morosov Alonso, coordenadora do LêTECE.

A apresentação foi pública e pode ser assistida no Youtube.

A pesquisa

O trabalho, intitulado “Educação Física à Distância: Propostas de mediação pedagógica em contextos de aquisição de habilidades sensório-motoras”, apresenta contribuições à mediação pedagógica e tecnológica no contexto de cursos de Educação Física ofertados a distância.

“Não podíamos pegar uma pesquisa de quase três anos, concluída, e simplesmente arquivar. Dimas graduou-se em Educação Física aqui na UFMT e, desde 2007, atuava na rede pública de ensino. A trajetória profissional dele está muito ligada à educação e esse trabalho concilia sua formação com sua atuação como professor”, completa o orientador de Dimas.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtriz de Smallville é condenada a três anos de prisão por caso de escravidão sexual
Próximo artigoCade investiga Globo por suposta ação para não perder nomes para Netflix