Rodoviária de Cuiabá ganha “nova” administração. Saiba o que deve mudar

Governo de Mato Grosso assinou contrato de concessão pelos próximos 25 anos. Empresa terá que promover reformas no local

Foto: Rafael Manzutti/Gcom

A Rodoviária de Cuiabá tem um “novo” administrador. O Governo de Mato Grosso assinou contrato com a Sinart – Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda. A empresa vai receber R$ 240 milhões para manter e gerir o espaço pelos próximos 25 anos. No valor ainda estão imbutidos pouco menos de R$ 19 milhões para reformas.

O contrato foi assinado nesta terça-feira (25) e o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, fez questão de destacar que as obras vão preservar as caraterísticas arquitetônico do prédio, projetado em 1977.

“Quando anunciaram, no passado, uma reforma para transformá-lo em um shopping, confesso que fiquei bem chateado, pois é um projeto arquitetônico belíssimo. E assim que assumimos esse trabalho de concessão, priorizamos o que as pessoas querem de uma rodoviária: um banheiro decente, chuveiro decente, um ambiente limpo e seguro”, ele disse.

Reforma não deve alterar a arquitetura do local (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O que deve mudar?

As reformas previstas serão executadas nos banheiros, áreas de embarque e desembarque, estacionamento. Ainda há a expectativa de instalação de um elevador panorâmico.

A Sinart também vai melhorar a central de operações da Rodoviária, que deve passar a  monitorar o fluxo dos usuários. Também está no projeto a implantação de vigilância armada, de espaços para serviços comerciais – caixa eletrônico, restaurante, lotérica – e de internet wi-fi.

Hoje, o terminal rodoviário atende aproximadamente 1,5 milhão de passageiros por ano. Pessoas que usam o transporte intermunicipal e interestadual para se locomover.

Cerca de 1,5 milhão de passageiros passam na Rodoviária de Cuiabá todos os anos (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Empresa “nova”

A Sinart atua neste mercado há 37 anos e, atualmente, está presente em 12 Estados brasileiros.

Ela já administrava a Rodoviária de Cuiabá, inclusive. A empresa tinha um contrato emergencial de seis meses com o Governo de Mato Grosso. O contrato foi firmado em caráter temporário até a finalização do processo licitatório. A Sinart, aliás, foi a única interessada no certame que culminou na assinatura da concessão.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtestado de comorbidade: médicos e pacientes relatam constrangimento em busca de vacina
Próximo artigoAdvogado pede a CPI proteção contra “ameaças” de José Medeiros