Reintegração de posse da AL

Justiça determina que servidores desocupem o Parlamento, mas Botelho avalia decisão

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Assembleia Legislativa conseguiu, na Justiça, uma decisão para reintegração de posse do prédio. Porém, ainda não há confirmação que a decisão será cumprida, uma vez que o presidente Eduardo Botelho (DEM) teme que haja confronto na desocupação dos servidores e ainda avalia o que fazer.

Na decisão, o juiz Paulo Marcio Soares de Carvalho estipulou o prazo de 3 horas, a partir da notificação, para a saída dos servidores do Parlamento, sob pena de multa diária de R$ 100 mil.

“Defiro a liminar, ordenando a imediata reintegração de posse do autor no edifício-sede do Poder Legislativo do Estado de Mato Grosso, com a consequente desocupação do imóvel, de forma voluntária, no prazo máximo de 3 horas, que reputo razoável”, diz o magistrado em trecho da decisão.

Diversas categorias de servidores estaduais ocupam o Parlamento deste a manhã desta terça-feira (22) com o intuito de impedir a votação de projetos do Governo do Estado, especialmente o que restringe o pagamento da revisão geral anual (RGA).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMato Grosso registra primeiro tremor de terra do ano
Próximo artigoEspecialistas veem com cautela limite de mensagens no WhatsApp