Região Norte é responsável por 15,9% das queimadas em MT e preocupa autoridades

Em uma semana foram registrados três incêndios na área rural Sinop de médias e grandes proporções

Com o início do período proibitivo de queimadas no dia 15 de julho a 15 de setembro, novos focos de calor na área rural de Sinop já têm preocupado as autoridades. Somente na última semana três casos foram registrados.  Ao todo o estado de Mato Grosso registrou 9.795 focos de incêndio dos dias 15 a 26 de julho, destes 1,6% foram em Sinop. A região Norte do Estado é responsável por 15,9% das queimadas até o momento.

O primeiro caso foi registrado na terça-feira (24), onde parte de uma residência na comunidade Águas Claras, foi destruída pelo fogo. As chamas foram contidas pelo Corpo de Bombeiros. No mesmo dia, uma fazenda localizada na estrada “Karen” teve uma área de aproximadamente 260 hectares de palhada de milho queimada. O incêndio cessou com auxílio dos funcionários do local, que levaram mais de cinco horas para conter o fogo.

Já na quarta-feira (25), uma propriedade agrícola na avenida Ipanema (próxima a área urbana do município) foi cenário de um outro incêndio. De acordo com o registro, o vento forte alastrou o fogo que atingiu um residencial vizinho, queimando um quiosque.

De acordo com o coronel do Corpo de bombeiros de Sinop, Fernando Rodrigues, no período proibitivo de queimadas é extremamente importante o controle e atenção das pessoas.

“É neste período seco de baixa umidade e de altas temperaturas que temos um maior impacto das queimadas, principalmente na nossa região. É importante lembrar também que na área urbana a queimada é proibida o ano inteiro. A queimada é crime inclusive com pena de reclusão”, explica.

Sobre as maneiras de prevenção e o suporte disponível na região para o atendimento de ocorrências, o coronel explica que apesar do reforço que recebem neste período a colaboração da população é extremamente importante.

“Nós estamos fazendo um grande trabalho de prevenção inclusive com a contratação de brigadistas, mas é muito importante o comprometimento das pessoas para que não tenhamos maiores problemas”, ressalta.

Sobre os métodos de prevenção Rodrigues lembra que no campo os produtores podem fazer aceiros (faixas ao longo das cercas onde a vegetação foi completamente eliminada)

“Há também a colaboração de fazendeiros vizinhos que podem constatar possíveis focos de calor e cautela do produtor, já que muitas vezes durante a colheita do milho pode gerar um início de foco de calor”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDesembargador nega suspeição de juiz que suspendeu escolta de Selma Arruda
Próximo artigoComo vai resolver o VLT se não resolve nem as empresas quebradas?, questiona Taques