Prefeito obriga servidores que não se vacinaram a voltar ao trabalho presencial

Em São José do Rio Claro, todos voltaram ao isolamento social, menos aqueles que preferiram não tomar a vacina contra a covid-19

A Prefeitura de São José do Rio Claro (320 km de Cuiabá) determinou que servidores públicos que optaram por não tomarem vacina contra a covid-19 continuem a trabalhar presencialmente durante a vigência do decreto de medidas restritivas. 

A determinação entrou em vigor nessa sexta-feira (21) e inclui pessoas com diagnóstico de comorbidade. “Ficam obrigados a retornarem as atividades laborais presenciais, os servidores do grupo de risco e/ou que possuam comorbidades que se recusarem tomar a vacina contra a covid-19″, diz inciso decreto. 

O prefeito Levi Ribeiro (Podemos) voltou a implantar medidas de quarentena na cidade por causa do aumento de casos diários pela variante ômicron e pelo surto da gripe H3N2. 

Entre as medidas, está a proibição de entrada em órgãos públicos e estabelecimentos privados de pessoas sem máscara facial, limite de horário para restaurantes, lanchonete e congêneres até à meia-noite e veto a atividades de lazer que gerem aglomeração. 

Também foi adotado o teletrabalho para os servidores públicos, com a indicação de que os funcionários com comorbidade só voltem aos órgãos públicos após o fechamento do esquema vacinal. Esta medida só não vale para aqueles que escolheram não se vacinar.

O decreto municipal baixado na quarta-feira (19) não faz justificativa específica para essa decisão. O LIVRE tentou contato com o prefeito, mas não houve retorno. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMega-Sena deve pagar R$ 22 milhões neste sábado
Próximo artigoEm busca de um lar: Cuiabá tem 30 cães disponíveis para adoção. Veja as fotos!