Operação cumpre 87 mandados judiciais contra o tráfico de drogas em Mato Grosso

As investigações visam desmantelar uma organização criminosa que age principalmente em cidades das regiões de Alta Floreste e de Juína

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil - imagem ilustrativa

Uma operação integrada, com a participação das forças de segurança do Estado, foi deflagrada simultaneamente nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (08) nas regiões norte e noroeste de Mato Grosso, para o cumprimento de 87 mandados judiciais de prisões e de buscas e apreensões contra alvos envolvidos com o tráfico de drogas e organização criminosa.

A operação se chama Vitae III e as ordens judiciais estão sendo cumpridas em municípios das Regiões Integradas de Segurança Pública (Risp) de Alta Floresta, Juína e Sinop.

As investigações para desmantelar a organização criminosa, que age principalmente em cidades das regiões de Alta Floreste e de Juína, teve início em fevereiro deste ano, a partir de investigação da Delegacia da Polícia Civil de Alta Floresta, quando foram realizadas outras duas etapas da operação, resultando em prisões de diversas pessoas envolvidas com o tráfico de entorpecentes e abastecimento de pontos de venda de drogas nas cidades do norte e noroeste do estado.

Os mandados judiciais foram expedidos pela 5ª Vara Criminal de Alta Floresta para cumprimento nas cidades de Alta Floresta, Nova Monte Verde, Carlinda, Panaraíta, Sorriso e Sinop. Na Risp de Juína serão cumpridos 20 mandados judiciais nas cidades de Cotriguaçu, Juína e Juruena.

O coordenador da operação, delegado da Polícia Civil Pablo Carneiro, informou que foram apreendidos quase 100 quilos de entorpecentes em Alta Floresta nas fases anteriores que integraram a Operação Vitae.

A operação Vitae III tem a participação de profissionais da Polícia Civil, Polícia Militar, Sistema Penitenciário, Corpo de Bombeiros, Politec e de policiais de unidades especializadas da PJC, entre elas a Gerência de Operações Especiais (GOE), Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Delegacia de Repressão a Entorpecentes e Polinter.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorExecutivo da Disney diz ser “a hora certa” para um terceiro filme da franquia Tron
Próximo artigoJustiça impede empresa de despejar casal de ex-funcionários durante pandemia