Operação Bereré: TRE vota para devolver ação de R$ 30 milhões ao TJ

Investigações apontaram que houve fraudes no período de 2009 a 2015

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um pedido de vistas do desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha impediu o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso de concluir um julgamento que devolve ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso os processos criminais que são decorrentes da Operação Bereré.

O esquema desmantelado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) apontava a existência de um esquema de desvio de dinheiro a partir da estrutura do Detran (Departamento de Trânsito de Mato Grosso).

As investigações apontaram que houve fraudes no período de 2009 a 2015 e gerado um prejuízo aos cofres públicos superior a R$ 30 milhões.

A operação policial foi deflagrada em 2018 e chegou a culminar na prisão do então deputado estadual Mauro Savi e do então secretário chefe da Casa Civil, Paulo Taques.

Após a denúncia ser oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE) ao Tribunal de Justiça, os desembargadores que compõe o Órgão Especial acolheram em outubro do ano passado a tese da defesa dos réus de que os autos deveriam ser remetidos a Justiça Eleitoral pela suspeita de que os crimes seriam conexos com caixa 2, dinheiro não contabilizado oficialmente para as despesas de campanha.

O pedido foi amparado após o Supremo Tribunal Federal (STF) entender que a Justiça Eleitoral tem competência para julgar crimes comuns desde que tenham vinculação com crimes eleitorais.

No total, são 58 réus incluindo políticos, empresários e servidores públicos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorScarlett Johansson não queria filme da Viúva Negra; entenda
Próximo artigoNetflix aposta em terror gelado em nova série; confira