Onde foram parar os R$ 100 milhões da Saúde? PF quer identificar os beneficiados do esquema

Investigados pulverizavam dinheiro em várias movimentações para despistar

(Foto: PFMT)

Os mandados de busca e apreensão e sequestro de bens em cumprimento pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (28), na segunda fase da Operação Curare, visam coletar informações para rastrear a movimentação de R$ 100 milhões, que teriam sido desviados da Secretaria Municipal de Saúde por meio de fraudes. 

A quantia teria sido recebida por cinco empresas, entre 2019 e 2021, que participariam de uma suposta organização criminosa, com central dentro da secretaria. 

O esquema teria se intensificado desde o ano passado com a autorização de contratação emergencial de serviços (sem exigência de licitação) para atender demandas de pacientes da covid-19. 

Esquemas de desvio

Conforme a PF, os alvos da investigação movimentavam o dinheiro por meio de empresas intermediárias em pequenas quantias, que giravam em cheques, contas bancárias e saques eletrônicos. 

Essas movimentações ocorreriam para despistar o destinatário final do dinheiro. O que a Polícia Federal identificou foi que empresas e pessoas que recebiam o dinheiro tinham vínculo com as cinco empresas que assinaram contrato com a prefeitura. 

Os grupos seriam responsáveis pela fracionar os contratos, outra forma usada de desviar recursos. A terceirização supostamente beneficiava servidores vinculados ao setor de contratação na Secretaria de Saúde e na Empresa Cuiabana de Saúde Pública. 

Esses servidores teriam contas pessoais pagas pelas empresas e contratadas e participariam de associações ocultas na compra de estabelecimento comercial. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDesfile em Cuiabá marca o lançamento da Feijoada de Inverno 2021
Próximo artigoJovem é morto pela Rotam ao fugir de abordagem