O lado dos Correios

Centrais fechadas pela Justiça devem retomar suas atividades nos próximos 15 dias

(Foto: Agência Brasil)

Os Correios em Mato Grosso contestam a informação de que 1,2 milhão de cartas e encomendas estejam paradas em Cuiabá e Várzea Grande por causa do fechamento de centrais de distribuições. 

Conforme a estatal, a quantia represada estaria limitada a 22% do total de 127 mil cartas e encomendas que as centrais movimentam diariamente. 

Duas centrais estão fechadas há quase três semanas por determinação judicial por causa do contágio, no começo de junho, de 16 funcionários pelo novo coronavírus.  

A informação foi enviada ao LIVRE nesta quinta-feira (2) em reposta à matéria publicada no começo desta semana. A reportagem ouviu o presidente do sindicato dos carteiros, Ireneu Sampaio Silva. 

Segundo ele, a situação de atraso nas entregas, que se arrasta há mais de um ano, piorou com o fechamento das centrais de distribuições doméstica de Vista Alegre, em Cuiabá, e de Várzea Grande. 

Os Correios também negam essa informação. Conforme a assessoria de imprensa, a agenda de entregas estava em dia antes paralisação das atividades das duas centrais. 

“No Estado há 158 unidades abertas ao público; desta forma, está sendo garantido o acesso da população ao portfólio de produtos e serviços da empresa”, informou. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

5 COMENTÁRIOS

  1. Os Correios que já foram motivo de orgulho para este país já não cumprem mais seu trabalho com a excelência de outrora. Os sindicalistas atribuem ao Governo o sucateamento, que levaria à privatização, mas infelizmente os trabalhadores (sem generalizar, mas em sua maioria) também já não prestam mais serviço de qualidade. Com muita frequência correspondências são devolvidas, às vezes com alegação de “endereço não encontrado” quando na mesma semana você recebeu entrega do mesmo remetente para o mesmo endereço. Quando nos dirigimos às agências, os servidores nos prestam (e quando prestam, porque muitas vezes não sabem nos orientar e alegam ignorância) informações erradas. Se não houver uma reciclagem, um programa intenso de capacitação e motivação, o fim será eminente. É muito triste o que vemos, principalmente de uma empresa que tanto nos orgulhou no passado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDistribuição de 100 mil “kits covid” deve começar na próxima semana em Cuiabá
Próximo artigoEnfermeira murcha pneu e risca carro que parou em sua vaga e passa a ser ameaçada

O LIVRE ADS