Enfermeira murcha pneu e risca carro que parou em sua vaga e passa a ser ameaçada

Ela resolveu fazer sua própria "justiça", mas a outra parte se sentiu no direito de reagir

Ilustrativa/Reprodução Internet

Uma enfermeira de 35 anos foi ameaçada nessa terça-feira (30) depois que, irritada, resolveu murchar os pneus e riscar um veículo que havia parado em sua vaga em um condomínio de Cuiabá.

Segundo ela, no fim da tarde dessa segunda-feira “um homem já de cabeça branca” começou a perguntar por ela no Hospital Metropolitano de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), onde ela trabalha.

Quando avisada, ela disse que não conhecia ninguém com o nome dele, então era pra dizer que ela não estava. O homem, no entanto, tentou entrar no hospital, enquanto dizia que ela estava sim lá e que queria se acertar com ela.

Assustada, a enfermeira ligou para a polícia via 190, pois seu plantão estava acabando e ela iria embora sozinha de motocicleta, o que a deixaria vulnerável.

Colegas da enfermeira informaram que o homem estava sentado na motocicleta dela, perguntando por ela a todos que passavam.

A vítima resolveu ficar na guarita do hospital, acompanhada do guarda, esperando a Polícia Militar, que não apareceu. Então a enfermeira ligou para um casal de amigos e foi para a casa deles, onde ficou abrigada, com medo.

Motivação

Já nessa quarta-feira (1º), ela registrou um boletim de ocorrência e contou o que motivou o homem a procurá-la no trabalho.

Na semana passada, um Fiat Uno vermelho parou na vaga dela de garagem no Condomínio Chapada das Oliveiras, no Bairro Morada do Ouro, em Cuiabá.

Ela pediu em dois grupos do condomínio que o veículo fosse retirado, mas o proprietário não se pronunciou. Vários moradores aproveitaram a deixa para também reclamar que em vários dias havia pessoas estacionando em suas vagas.

Com raiva da situação, a enfermeira murchou os pneus do carro e fez um risco de cerca de 10 centímetros em uma das portas.

A dona do veículo foi notificada por parar na vaga alheia e, irritada com a notificação e com a ação da dona da vaga, a procurou no Facebook e fez ameaças e xingamentos, dizendo que ela iria pagar pelo que havia feito, nem que fosse na Justiça.

A enfermeira bloqueou a dona do veículo e nessa terça-feira o homem foi enviado para ameaçá-la mais uma vez. Ela resolveu conversar com a suspeita para saber se o homem realmente tinha ido a mando dela e a acusada confirmou que o suspeito era pai dela.

Com medo de voltar ao trabalho e encontrar o homem e, constrangida, pois o suspeito também falou com a direção do hospital, a enfermeira pediu ajuda à polícia.

O caso foi registrado como constrangimento ilegal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO lado dos Correios
Próximo artigoCuiabá aumenta toque de recolher e implanta rodízio de carros e pessoas

O LIVRE ADS