“Não sou corrupto, não sou ladrão”, diz Emanuel Pinheiro após reeleição

Prefeito diz que sofreu com ataques na campanha eleitoral e que todo seu patrimônio está declarado na Receita Federal

“Não sou corrupto. Não sou ladrão”. Em meio às lágrimas, o prefeito reeleito de Cuiabá neste domingo (29) com 135.871 votos, Emanuel Pinheiro (MDB), desabafou ao final da coletiva de imprensa dada em frente a sua residência no bairro Jardim das Américas, a respeito das acusações de que recebeu propina enquanto deputado estadual.

Com lágrima nos olhos, Emanuel Pinheiro reforçou que é “vítima de uma armação política para prejudicá-lo” e que só demorou para se manifestar oficialmente a respeito do episódio conhecido como “Paletó” porque o processo estava em segredo de Justiça e só agora foi derrubado.

“É uma injustiça o que fizeram comigo. Mas, a população cuiabana é maravilhosa. Eu não sou ladrão. Eu não sou corrupto. Moro há 25 anos na mesma casa, não tenho bois, fazendas em meu nome. Meu único patrimônio está tudo registrado no Imposto de Renda e é compátivel com a nossa renda. Sou taxado por causa de imagem da qual eu fui usado. Fui o homem errado na hora errada e ao longo desta campanha me bateram, me humilharam, 24 horas por dia”, disse.

Quando encerrou o primeiro turno no dia 15 de novembro, Emanuel Pinheiro fechou a campanha em segundo lugar, com 82.367 votos, enquanto seu adversário Abílio Brunini (Podemos) terminou em vantagem, com 90.631 votos.

No segundo turno, Emanuel Pinheiro chegou a ter até oito pontos de desvantagem, mas conseguiu sair vitorioso ao obter 51,15% dos votos válidos. O prefeito avaliou que o apoio do servidor público foi considerado essencial para obter a vitória no segundo turno.

“Os servidores públicos fizeram a diferença de novo. O prefeito defende a bandeira do servidor e respeita essa categoria importante para o desenvolvimento de Cuiabá. Se eu pudesse entraria em cada lar dos cuiabanos para dar um abraço e um beijo em cada um pela confiança. Eu amo ser prefeito dessa cidade maravilhosa. E o povo não quis se aventurar. Para que trocar o certo pelo duvidoso. Existe um caso de amor entre Cuiabá e Emanuel Pinheiro. Me sinto um guri de 15 anos com essa vitória”, declarou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. A MAIORIA dos eleitores deu a Vitória, campanha POLÍTICA com XINGAMENTOS é = casal com FILHOS, julga em MÍDIAS, AQUI julgadores é POPULAÇÃO de votantes.
    É INTERESSANTE que o SEGUNDO TURNO houve MUDANÇAS de preferência provavelmente em ALGUNS ALGUMAS REGIÃO do Colégio eleitoral em São Paulo TAMBÉM Covas reverteu BOULOS em RELAÇÃO a primeira. AINDA NÃO TEMOS perfis de releitura da mudança de votos nem institutos de PESQUISAS alcançou ainda, SÓ declara NÃO tem Boca de urna, é Custos +?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDerrotado no segundo turno, Abílio Júnior agradece apoiadores e fala em “sono tranquilo”
Próximo artigoTJ mantém auditorias que apuram superfaturamento no TCE