Ministro descarta doses extras de vacina a Cuiabá pela Copa América

Marcelo Queiroga diz que o PNI não tem estratégia para contemplar as sedes de competição internacional

(Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga descartou o envio de doses extras de vacina contra a covid-19 para Cuiabá e Várzea Grande como “compensação” pela realização da Copa América.

O ministro disse nesta segunda-feira (21) que não existe uma estratégia específica de imunização para o evento esportivo. 

A informação foi divulgada em resposta a uma pergunta do senador Wellington Fagundes (PL-MT) em audiência pública no Senado. Fagundes questionou o ministro sobre os pedidos dos prefeitos Emanuel Pinheiro (MDB) e Kalil Baracat (MDB) de concessão de doses a mais. 

“Não há uma estratégia específica em relação à competição. O que está em discussão são as fronteiras secas com países vizinhos de Estados”, disse. 

Análise de fronteira

Segundo o ministro, está em andamento um estudo para ampliação da vacinação em Estados que possuem largo território e densidade populacional baixa. Se aprovado, a modificação terá que entrar no Plano Nacional de Imunização (PNI) para ser executada. 

“O esforço para ampliar a imunização [nessas áreas] não é tão grande e, do ponto de vista epidemiológico, pode ser importante para conter prováveis variantes”, completou. 

Segundo a Prefeitura de Cuiabá, a negociação para o recebimento de doses extras contra a covid-19 começou a ser articulada, diretamente com o presidente Jair Bolsonaro, horas após o anúncio de Capital como sede da Copa América. 

A conversa de Várzea Grande começou na semana passada.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCidade de MT começa a vacinar moradores a partir de 18 anos
Próximo artigoCNJ investiga 83 desembargadores do TJ de SP por baixa produtividade