MT em horário nobre: série filmada no Pantanal é destaque da TV Brasil

O Pantanal e Outros Bichos têm 26 episódios e é exibida de segunda a sexta-feira

Vasculhando os arquivos recentes do cinema mato-grossense, é possível afirmar que a série de TV de ficção O Pantanal e Outros Bichos é a primeira produção de Mato Grosso nesse formato a ser veiculada em rede nacional.

Com 26 episódios, ela tem dois deles exibidos em sequência, de segunda a sexta-feira na TV Brasil, a partir das 18h, horário local (via TVs por assinatura).

Mas também dá para assistir pela TV aberta, sintonizando o canal 2.1, ou seja, da TV Universidade. A previsão do término de exibição é dia 4 de setembro.

A série destinada ao público infanto-juvenil ocupa horário de classificação etária livre para TVs abertas. Ou melhor, horário nobre!

Parte do elenco e equipe se reuniu na Latitude Filmes – onde foi feita toda a finalização da série – para conferir a estreia. O chef Ademir Gudrin, o Tio Berê, também esteve presente.

O cineasta Amauri Tangará e da produtora Tati Mendes, ambos da Cia D’Artes do Brasil, receberam os amigos para assistir à primeira exibição em rede nacional.

“Quando abriu o edital nacional, já sabíamos que, caso o projeto fosse aprovado, a primeira exibição seria em TV pública, pois já estava previsto pelo chamamento”, explica a produtora Tati Mendes.

“Após ser exibida em rede nacional pela TV Brasil, a série segue seu caminho de
exibição na expectativa de conquistar o público e outras telas, enquanto a
guardamos a próxima temporada”, adianta.

A série mato-grossense concorreu com mais de 700 projetos e sua aprovação representou um dos maiores desafios para a Cia D’Artes. A produção total corresponde a quase cinco longa metragens – 338 minutos de material finalizado.

São 26 episódios de 13 min, que foram totalmente produzidos, filmados, editados, sonorizados, animados em 2 e 3D, musicados, traduzidos em libras e audiodescritos por mãos de mato-grossenses.

A equipe e elenco são formados predominantemente por pessoas do Estado. “É uma política da Cia, exceto quando for questão de concepção artística, como foi o caso do diretor de arte Raimundo Rodriguez e do fotógrafo boliviano Guillermo Medrano”.

O orgulho com que os produtores Tati e Amauri exibem estas estatísticas está atrelado ao fato de terem investido fortemente na cidade e cidadãos onde a série foi realizada – Poconé, a cerca de 120 km de distância de Cuiabá –, portal de um dos biomas mais cobiçados do mundo, o Pantanal, que, não por acaso, dá nome a série.

Belíssimo registro de cena de O Pantanal e Outros Bichos, pelo olhar do fotógrafo Ahmad Jarrah

A cidade abrigou e abraçou a série desde o início, conta Amauri Tangará, que conseguiu a participação de poconeanos respeitados como a do Sr. Donato, pantaneiro genuíno, forjado na lida com o gado, que atuou como o peão Luis. Ainda, o Sr. Chicão, dono de uma grande horta orgânica da cidade, que além de ceder a locação, ainda atuou com empenho em alguns dos episódios.

Na intenção de ilustrar a ficção, sem deixar de ser fiel à realidade cultural da cidade, integram a série a misteriosa e colorida Dança dos Mascarados de Poconé, o Grupo de Siriri Bate Forte e o Grupo Cururueiros do Pantanal, engrandecendo e eternizando em imagens estas manifestações ímpares em beleza e genuinidade.

“Movimentamos a economia local e injetamos na cidade de Poconé R$ 500 mil. Utilizamos cerca de uma centena de empresas de prestação de serviços”, relata o cineasta Amauri Tangará.

Segundo ele, o impacto econômico que cada projeto destes pode trazer, reverbera positivamente. Conforme estudos, cada real investido pode gerar três em ações de retorno para a própria comunidade.

Contamos também com parceiros importantes como a Água Clássica, a própria Prefeitura de Poconé, que apoiou com diversos serviços e através de várias de suas secretarias e ainda o SESC Poconé e o SESC PANTANAL, parcerias fundamentais pela respeitabilidade que emprestam, quando apoiam um projeto.

O ator mato-grossense Vini Hoffman é o Curupira de O Pantanal e Outros Bichos (Foto: Ahmad Jarrah)

Resumo da trama

Através do olhar de duas crianças (os irmãos Ísis e João, de 12 e 10 anos), que vivem em Cuiabá (MT) e vão passar suas férias com os avós paternos, Ramiro e Isabel (um carioca e a outra pantaneira que moram em pleno pantanal profundo), a série propõe um mergulho num universo lúdico, poético e mítico, cheio de mistérios e descobertas, em cenários de raras belezas e de muitos perigos. ​

Reavivando muitas das lendas e mitos locais, buscamos chamar atenção para as problemáticas questões ambientais do Pantanal (e da cidade de Poconé, porta de entrada do bioma), sensibilizando os espectadores infantis e juvenis que, a cada dia, estão mais absortos pela tecnologia e menos próximos da natureza.

Ficha técnica

Série: O Pantanal e Outros Bichos
Episódios: 26 de 13 min cada
Exibição: TV Brasil – canais da TV Aberta, paga e webTV
Uma produção: ANCINE/BRDE/FSA/EBC/CIA D’ARTES DO BRASIL
Roteiro: Luck P. Mamute e Amauri Tangará
Direção: Amauri Tangará
Produção Geral: Tati Mendes

Leia também

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAcrimat verifica resultado das ações de fiscalização de trânsito
Próximo artigoFumaça hi-tech: cigarros eletrônicos são a nova porta de entrada para o vício?

O LIVRE ADS