Major acusado de estuprar as enteadas é expulso da Polícia Militar

O oficial chegou a dopar e alcoolizar as meninas e também gravou cenas do estupro

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Seis anos depois de ser denunciado, o major aposentado da Polícia Militar Francisco Ferreira de Almeida Filho, de 52 anos, foi oficialmente expulso da corporação, conforme despacho publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) de segunda-feira (24). Ele foi acusado de estuprar as enteadas, que tinham entre 12 e 16 anos.

No despacho, o governador Pedro Taques ratificou a demissão do agora ex-major. A decisão já havia sido proferida no Processo Administrativo Disciplinar (PAD) ao qual o ex-oficial respondia. No procedimento interno, ele foi considerado culpado da acusação.

Francisco, que estava aposentado desde 2010, foi preso pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Deddica) no dia 18 de maio de 2012, depois que foi denunciado por suspeitas dos abusos sexuais. O caso foi confirmado por testemunhas e pelas enteadas, que contaram detalhes à delegada.

A enteada mais velha, que tinha 18 anos em 2012, revelou que foi abusada sexualmente por quatro anos, dos seus 12 aos 16 anos, e que, depois que saiu de casa, o ex-oficial passou a abusar de sua irmã mais nova, que tinha 13 anos.

Segundo contou, Francisco a levava para motéis e usava sua arma de fogo para ameaçá-la. Em algumas situações, ela teria sido dopada e alcoolizada. A jovem contou ainda que o padrasto chegou até a filmar alguns dos atos sexuais.

À delegada responsável pelo caso, Adriana Fachone, a mãe das meninas disse que nunca soube dos estupros.

Depois que foi preso preventivamente, o ex-oficial ficou sob custódia da PM e passou a ser investigado pela Corregedoria Geral da Polícia Militar. Em 2015, Francisco chegou a ser ouvido pelos militares que acompanhavam o caso e apresentou sua defesa. Ainda assim, foi considerado culpado.

Com a demissão publicada pelo governador, o ex-major perde o direito de aposentadoria.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCineclube Coxiponés exibe obras sobre a vida na classe média nesta 4ª
Próximo artigoAgentes encontram drogas e celular enterrados em pátio de presídio