Mais de 80% dos eleitores de Cuiabá dizem que irão votar

Pesquisa mostra que abstenção pode ficar dentre as menores nos últimos anos

A pandemia não deve afetar a votação nas eleições municipais de Cuiabá. A grande maioria dos eleitores dizem que irão com certeza registrar voto em vereador, prefeito e senador no dia 15 de novembro. 

Os dados estão em pesquisa divulgada neste sábado (17) pelo site G1. Ela mostra que 83% dos cidadãos com seção na Capital irão comparecer às urnas. A estimativa, se confirmada, vai modificar o histórico recente das eleições, cujo número de abstenção variou de 23% a 25%. 

“Por um lado, nós temos a expectativa de que possa haver maior abstenção por causa da pandemia; por outro, por ser uma eleição municipal, eleição para cargos que têm efeito mais direto na vida do cidadão, pode haver maior entusiasmo de participação”, diz o secretário de gestão de pessoas do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Valmir Milhomem. 

Segundo ele, o cenário que é visto como muito dinâmico até o momento deverá se definir na reta final da campanha eleitoral, a depender da evolução do contágio em cada município. 

Em dúvida ou sem participação  

A confirmação de voto em Cuiabá ficou dentro da estimativa nacional entre as capitais. Conforme o G1, a menor participação dos eleitores foi estimada em Salvador, onde 69% dos eleitores disseram que irão votar. 

Os demais responderam que estão em dúvida ou confirmaram que não irão votar em qualquer hipótese. Esses grupos em Cuiabá somaram 14% dos entrevistados. 

A votação neste ano terá uma hora a mais. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou que os votos comecem a ser registrado às 7h para evitar aglomeração. A orientação é que às 10h seja dada preferência para os eleitores com idade igual ou superior a 60 anos. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMãe registra BO em Cuiabá após médica detectar DST em sua filha de dois anos
Próximo artigoSucesso científico e desenvolvimento econômico