Mãe registra BO em Cuiabá após médica detectar DST em sua filha de dois anos

Bebê apresentou marcas de violência sexual e lesões causadas por DST

Imagem ilustrativa / Freepik

A mãe de uma bebê de dois anos e 11 meses procurou a polícia nessa sexta-feira (16), em Cuiabá, após levar sua filha em três médicos e ao menos dois detectarem que a menina estava com lesões causadas pela doença sexualmente transmissível HPV (Papilomavírus Humano).

Segundo a mãe, em agosto, ao trocar a fralda da bebê, ela notou algo estranho no genital da filha e, por isso, no dia 10 daquele mês a levou em uma clínica em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

O primeiro médico disse não saber o que era. Preocupada, no final de agosto a mãe retornou na mesma clínica e foi atendida por outra médica, que disse à mãe que se tratava de HPV e a orientou a procurar um ginecologista.

Não satisfeita com as informações, no dia 16 de outubro a mãe foi até a policlínica do Verdão, em Cuiabá, onde foi atendida por uma terceira médica, que, ao examinar a bebê, detectou suspeita de violência sexual e lesões condilomatosa – causada pelo HPV – na região anal.

A família foi encaminhada para a assistência social e a mãe resolveu procurar a polícia para que seja investigado um possível abuso sexual contra a filha.

O caso foi registrado como estupro de vulnerável e, a princípio, não há suspeitos.

LIVRE produziu um manual para você saber como agir, caso tenha sido vítima ou testemunha de um crime sexual:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.