Justiça libera mulher ligada ao Comando Vermelho a deixar a prisão para trabalhar

Acusada deverá comprovar efetivamente que tem emprego no município de Feliz Natal para permanecer em prisão domiciliar

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes, manteve a prisão domiciliar de uma mulher, identificada como V.D.S.S, acusada de integrar a organização criminosa Comando Vermelho e de ter participação direta em esquema de R$ 52 milhões desmantelado pela Operação Red Money, da Polícia Civil.

O processo tramita em segredo de Justiça, mas o teor da decisão foi publicado nesta sexta-feira (28), no Diário da Justiça.

Porém, a magistrada autorizou que a detenta deixe o domicílio para trabalhar no período das 6h às 18h para trabalhar, desde que comprove efetivamente que tem uma proposta de emprego concreta para comprar alimentos.

O deslocamento será limitado às idas para a zona urbana do município de Feliz Natal (380 km de Cuiabá).

Por outro lado, na mesma decisão foi mantida a prisão preventiva do acusado S.E e convertida em cumprimento de medidas cautelares a prisão preventiva de W.G.C, que deverá comparecer a todos os atos do processo quando for intimado, comparecer mensalmente em juízo para informar e justificar atividades, proibição de manter contato com outros réus e testemunhas arroladas no processo e também de deixar Cuiabá sem antes comunicar a Justiça.

Operação Red Money

Os criminosos investigados na operação eram responsáveis pela arrecadação financeira e movimentação de valores pertencentes à facção criminosa. A movimentação financeira da organização, no período de um ano e meio, chegou a cerca de R$ 52 milhões, entre entradas e saídas nas contas bancárias verificadas.

A primeira fase da operação Red Money foi deflagrada no dia 8 de agosto deste ano e a segunda fase, complementar à investigação, foi executada em 1º de outubro de 2018.

Durante a investigação foram expedidos 110 mandados de prisão preventiva, sequestro de 23 imóveis, incluindo uma fazenda no município de Salto do Céu, apreensão de cerca de R$ 60 mil, em joias, bloqueio e sequestro de valores em contas bancárias, além de apreensão de dinheiro em espécie, atingindo a aproximadamente R$ 730 mil.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMinistério da Saúde “libera” vacina para público em geral. Veja o cronograma de Cuiabá
Próximo artigoBolsonaro sanciona lei que endurece penas para golpistas cibernéticos