Isolamento obrigatório: quase 100% dos empresários de MT relatam prejuízos

Índice consta em pesquisa realizada pelo Sebrae; foram ouvidos 354 empresários de diversas atividades no estado

(Foto: Reprodução)

Com o isolamento social e a restrição de circulação de pessoas, 98% das lideranças empresariais de Mato Grosso relataram impactos negativos com a crise da covid-19.

A reação do meio político à pandemia do vírus mudou a forma como as pessoas consomem e os reflexos já são sentidos.

O índice consta na pesquisa “Percepções de Lideranças Empresariais de Mato Grosso sobre os Impactos do Coronavírus nos Negócios e na Economia”, feita pelo Sebrae.

A pesquisa ouviu 354 empresários de diversas atividades em municípios das principais regiões econômicas do estado, sendo eles: Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Confresa, Cuiabá, Juína, Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Sinop e Tangará da Serra.

O resultado mostra que a queda de receita é a maior preocupação dos entrevistados. As questões mais relacionadas foram: a queda nas vendas (23,17%), a redução de consumidores (17,95%) e a redução das atividades da empresa (17,22%).

Outro ponto significativo é que 57,63% dos líderes disseram que possuem pouco conhecimento sobre as medidas trabalhistas e econômicas tomadas pelo governo federal.

Cuidados e medidas adotadas

Ao mesmo tempo, 78,81% dos empresários já haviam tomado alguma medida de gestão protetiva em razão da covid-19.

Dentre as ações mais nomeadas estão: a intensificação da higiene no ambiente de trabalho (20,18%); orientações sobre o coronavírus aos funcionários (18,49%); a suspensão do atendimento presencial.

Para driblar a crise, os empresários também adotaram medidas de gestão.

Dentre as mais citadas como inovadoras estão: atendimento ou vendas remotas – online ou telefone (17,31%), delivery (13,46%), produção e divulgação de conteúdos (9,62%), revezamento da equipe por escala e turnos (7,69%).

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO último lugar do mundo em impacto científico
Próximo artigoCrise deve aproximar agro e sociedade