Governo anuncia meta de zerar emissão carbono e aposta em financiamento na COP-26

Plano estadual contém 12 ações com meta de 15 anos a menos que o acordo mundial das Nações Unidas

(Foto: Marcos Vergueiro/Secom)

O Governo de Mato Grosso lançou nesta segunda-feira (25) a meta de zerar a emissão de carbono líquido até 2035. O programa, nomeado Carbono Neutro MT, antecipa o acordo mundial das Nações Unidas em 15 anos. 

Doze ações compõem o plano que necessita de “alguns bilhões” para ser executado. Conforme secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, todas as ações fazem parte do programa de sustentabilidade em execução pelo Estado. 

“Mato Grosso faz uma adesão formal à meta mundial até 2050, mas faz uma meta de adesão voluntária de descarbonização até 2035, com uma meta de 80% até 2030. As 12 ações voluntárias foram feitas a partir de estudo do Under 2 e, juntamente com o programa, já vem uma estrutura para aqueles que aderirem ao programa possam demonstrar ao mundo que estão aderentes à campanha mundial”, afirmou. 

O programa foi lançado com a assinatura de ao menos oito entidades comerciais de Mato Grosso, como Fiemt (Federação das Indústrias), Aprosoja, Famato e Ação Verde. Os signatários e cumpridores da meta vão receber um selo de “apoiador” do programa. 

COP-26

O Carbono Neutro será apresentado à COP-26 que será em Glasgow no fim do mês. Conforme a secretária Mauren, o projeto será usado como gatilho para o financiamento por países defensores da redução do efeito estufa, como Reino Unido e Alemanha. 

O governador Mauro Mendes deve assinar amanhã (26) um termo de licenciamento do governo para presidir a comitiva estadual que participará de eventos na Dinamarca e na Escócia. 

Segundo a Secretaria de Estado Meio Ambiente (Sema) ainda não números sobre a necessidade investimento, público e privado, para o cumprimento das 12 ações, mas é calculado que a demanda seja na casa de “alguns bilhões de reais”. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Tão jovem, tão canalha”
Próximo artigoSérgio Ricardo reintegrado