Geller nega articulação por vaga de vice de Mauro Mendes

Deputado federal diz que seu foco continua na campanha para o Senado, com apoio do próprio governador

(Foto: Reprodução/Assessoria de Imprensa)

O deputado federal Neri Geller (PP) disse nesta segunda-feira (6) que não deve concorrer como vice-governador na eventual chapa de Mauro Mendes (DEM) nas eleições de 2022. Ele sustenta que mantém o foco na campanha para o Senado, com a “simpatia” do próprio governador. 

“Todos sabem da minha parceria com o governador e o trabalho de resultados que conseguimos executar nesses anos, mas o próprio Mauro sabe do meu projeto ao Senado e já declarou, inclusive, simpatia a isso”, afirmou. 

O parlamentar divulgou uma nota no começo da tarde de hoje (6) comentando a repercussão da informação de que há conversas de formação de acordo entre DEM, PP, e PL para encaixar a candidatura dele, como vice, e a do senador Wellington Fagundes (PL), em reeleição, no mesmo grupo. 

Esse cenário solucionaria a disputa de voto em nome do presidente Jair Bolsonaro. O conflito começa a surgir pela filiação do presidente ao Partido Liberal (PL). A tendência é que apoie um candidato de sua nova sigla. 

Contudo, o Partido Progressista (PP), um dos maiores na base de apoio ao governo federal no Congresso, também tem pretensões de lançar Geller ao Senado por Mato Grosso. 

“Estive na semana passada, inclusive, em agenda com o ex-governador Blairo Maggi (PP) e nosso grupo está focado na consolidação desse projeto, mas, até lá, vamos conversar com todos que estiverem envolvidos já que a boa política se faz no coletivo”, disse. 

Mais cedo, o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), disse que a hipótese de Geller como vice de Mauro Mendes não foi declarada pelo governador. O próprio Botelho aparece como opção. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJoe Biden volta a defender legalização do aborto nos EUA
Próximo artigoRenivaldo afirma que justiça acertou ao revogar afastamento de Emanuel Pinheiro