Força de segurança: Governo diz que convocará 1,2 mil candidatos até o fim do ano

Governador Mauro Mendes diz que aguarda a liberação da lista de classificados pela UFMT, para programar chamamento

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

O governador Mauro Mendes disse que irá convocar até o fim do ano 1,2 mil aprovados no concurso para as forças policiais em Mato Grosso, realizado em fevereiro.  

Segundo ele, o chamamento depende da liberação da lista de classificados pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). E sugeriu que não haverá um retorno à primeira etapa da seleção de prova teórica. 

“Todos aqueles que fizeram concurso podem ficar tranquilos. A primeira fase já foi, que é a prova, agora tem outras etapas conforme edital. Terminando e soltando a lista dos classificados, o governo vai, ainda neste ano, fazer esse chamamento sim, de 1.000, 1.200 profissionais para segurança”, disse em entrevista à rádio Vila Real nesta semana. 

O andamento das etapas do concurso foi paralisado para a investigação de supostas fraudes ocorridas durante a prova teórica. Candidatos e deputados estaduais apresentaram mais de 50 denúncias. O Ministério Público do Estado (MPE) faz parte da apuração. 

Em março, o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, disse ver má-fé de candidatos que teriam se saído mal no concurso na denúncia de fraudes. 

Ele pontuou na época que o laudo da Polícia Civil e da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) não reconheceu vazamento de dados da UFMT.  

E acrescentou que as denúncias feitas ocorreram após a divulgação do gabarito das provas. E o levantamento feito até o momento, de sete mil salas onde houve candidatos, não apresentou dado que levasse a considerar o cancelamento do concurso. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMorre a menina atropelada por carro alegórico de escola de samba
Próximo artigoRepasse: proposta de Max Russi pode triplicar valor da merenda escolar