Família pede ajuda para pagar UTI aérea de professora diagnosticada com lesões no cérebro

Urgência do caso não permitiu esperar liberação de plano de saúde

Foto: Reprodução

Imagine você procurar atendimento médico devido a uma intensa dor de cabeça e receber o diagnóstico de que possui três lesões no cérebro. Foi o que aconteceu com a professora Eliza Pelloso, de 34 anos, de Sinop (500 km de Cuiabá). Em razão da gravidade de seu caso, ela precisou ser transferida para o Hospital de Câncer de Barretos com urgência. Agora, família e amigos pedem ajuda para arcar com os custos do transporte.

Foi no dia 1º de agosto que a triste surpresa se apresentou para toda a família. Segundo o marido, o arquiteto e designer gráfico Rogério Fickert, Eliza já havia sido diagnosticada, anos atrás, com um melanoma – considerado um dos tipos de câncer de pele mais perigosos – que lhe apareceu nas costas. Desde então ela monitorava a doença.

Uma dor de cabeça intensa, a ponto de não permitir que a professora saísse da cama, foi o que levou a família a buscar ajuda médica.

De acordo com o marido, tudo aconteceu de forma muito rápida. Os médicos recomendaram que a família transferisse Eliza para o Hospital de Câncer de Barretos, em razão da urgência do caso. Além disso, lá teria uma equipe especializada para atendê-la, uma vez que os médicos de Sinop não conseguiram identificar de forma mais precisa a lesão no cérebro da professora.

Para a transferência de hospital, porém, Eliza precisava de uma UTI aérea, que é fornecida pelo seu plano de saúde. Entretanto, ela teria que aguardar a liberação em Cuiabá, para, só então, ser transferida – o que, para a família, não era uma opção. Assim, optaram por realizar o transporte de forma particular, no último domingo (5). A despesa ficou em R$ 43 mil.

Eliza já iniciou o tratamento de radioterapia com a equipe de Barretos.

Em Sinop, Eliza é coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo de uma universidade particular. Na faculdade, o caso da professora teve grande comoção. Amigos, então, organizaram uma campanha de doação para que a família consiga ajuda para pagar o custo do transporte.

“Resolvemos iniciar uma campanha de doação voluntária e quem puder doar qualquer valor será muito bem vindo. Essa é uma forma de conseguirmos levantar o dinheiro necessário para ajudar a pagar esse transporte”, explicou uma colega de trabalho.

Para quem puder ajudar, seguem os dados bancários:
Banco do Brasil
Agência: 1180-0
Conta Corrente: 111.736-X
CPF: 025.503.098-39
Proprietária: Mônica Fioravante Pelloso (mãe de Eliza)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.