Empresário e família entregam mais de 100 marmitas para caminhoneiros em Cuiabá

Cardápio temperado com solidariedade e amor ao próximo

Os alimentos eram suficientes para 100 refeições, mas como foram temperados com solidariedade renderam mais algumas dezenas de porções, todas doadas aos caminhoneiros na BR-364 na saída de Cuiabá.

Jodelso Xavier, proprietário do tradicional restaurante Bodeguita, e a família dele idealizaram e executaram a ação, realizada na quinta-feira (2). Ao todo foram cinco pessoas, entre eles a esposa e os filhos do casal.

“Nós tínhamos a necessidade de agradecer à Deus pelas bençãos que recebemos. Estamos há 30 anos no mercado. Começamos com um fogão de 4 bocas e, hoje, temos 9 funcionários na equipe”, explica Xavier.

Ciente dos problemas enfrentados pelos motoristas, o empresário resolveu ajudar. Ela viu nos jornais as dificuldades de quem anda por quilômetros sem achar um local para almoçar, tendo em vista que os pontos de parada estão fechados por conta das medidas de combate ao coronavírus.

Então, perguntou a esposa, Solange Xavier, o que poderiam fazer em família, já que os funcionários estão em férias e o restaurante fechado desde o mês passado por conta das regras de isolamento social.

“Ela me respondeu, até 100 marmitas eu consigo fazer. Aí, fizemos, mas deu mais”, lembra o comerciante.

E o cardápio foi de primeira. Tinha ventrecha de pacú frita à moda cuiabana e também frango frito. Segundo Xavier, eles colocaram duas proteínas porque algumas pessoas não comem peixe.

Além das carnes, tinha a combinação mais querida do Brasil, arroz e feijão, e ainda farofa e legumes.

Comida caseira foi entregue para os caminheiros pelo empresário e a família dele. (Foto: arquivo pessoal/ divulgação)

Rica experiência

Segundo Xavier, um dos caminhoneiros chegou a chorar ao receber a refeição. Pessoas visivelmente cansadas que passavam dificuldade para manter o abastecimento das cidades.

“Eles estavam sofrendo, mas tinham um certo orgulho de saber a importância do trabalho deles”, descreve.

Ele ainda foi abençoada por diversos motoristas, o que o deixou energizado para enfrentar as dificuldades que estão por vir.

“Também fiquei impressionado com outros grupos que estavam no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para ajudar. Tinha um pessoal entregando lanche  e a PRF oferecia álcool, máscara e luvas”, relata.

Na avaliação do empresário, a ação foi apenas para agradecer porque Deus sempre o ajudou no andamento dos negócios e, agora, ele quer passar pela pandemia sem demitir nenhum dos funcionários.

“Os clientes não me faltarão. Eles ligam perguntando quando irei abrir e dizem que querem voltar a frequentar nosso espaço”, argumenta.

Desde que abriu o restaurante, Xavier e a esposa estão no mesmo lugar, na rua Villa Maria, no bairro Baú, atrás do posto Idaza da avenida do CPA.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAluna cria máscaras transparentes para ajudar pessoas surdas na leitura labial
Próximo artigoCultura colaborativa ganha espaço em tempos de coronavírus