Empresa terá que devolver R$ 1 milhão para cofres de Mato Gosso

A empresa teve contrato cancelado e continuou prestando o serviço; depois, superfaturou na nota fiscal

Conselheiro Luiz Henrique Lima concluiu que não houve irregularidades (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A empresa Exact Serviços de Higienização Ltda, contratada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) para executar serviços de higienização, desinfecção e coleta de lixo hospitalar em algumas unidades de saúde do de Mato Grosso, foi condenada a devolver R$ 999.316,66 aos cofres públicos estaduais.

A decisão foi do Pleno do Tribunal de Contas do Estado, de terça-feira (04), sob relatoria do conselheiro interino Luiz Henrique Lima. Ao analisar o caso, ele observou que a empresa apresentou notas fiscais superfaturadas e pagor por geradores um valor acima do praticado no mercado.

No processo, o conselheiro explicou que a SES já possuía vínculo com a empresa Exact, por meio de um contrato firmado em 2007, e que tinha vigência de um ano. No entanto, apresar de contemplar unidades descentralizadas, o contrato não incluía hospitais regionais, o MT Hemocentro, MT Laboratório, Cermac, entre outros. Então, a SES abriu um novo pregão, que previu a prestação de serviços de limpeza e higiene de mais 28 unidades de saúde.

Ocorre que, em razão de irregularidades apontadas no processo licitatório pela empresa concorrente, que resultou em uma auditoria, o secretário de Saúde à época, Augustinho Moro, acatou a conclusão da investigação e anulou o processo licitatório, em fevereiro de 2008.

Contudo, mesmo sem vínculo contratual, a empresa continuou prestando serviço à SES nas unidades previstas no contrato anterior, sob a justificativa da necessidade dos serviços de limpeza e desinfecção hospitalar.

Os serviços foram pagos a título de indenização em favor da empresa Exact, que tinha como proprietária Maria do Carmo Silva dos Santos, com base nas notas fiscais emitidas no período de dezembro de 2007 a novembro de 2008. Essas notas fiscais foram objeto da Tomada de Contas e caracterizaram superfaturamento por parte da empresa.

[featured_paragraph]”Apesar do quadro fático apresentado, foram executados e pagos serviços a título de indenização em favor da empresa Exact, referentes aos meses de dezembro de 2007 a novembro de 2008, ou seja, por longo período, à revelia do devido processo licitatório ou de sua dispensa”, destacou o conselheiro relator no voto.[/featured_paragraph]

Além de julgar irregulares as contas da Tomada de Contas Especial e determinar o ressarcimento de R$ 999.316,66, a empresa Exact Serviços de Higienização Ltda. foi condenada ao pagamento de 10% de multa sobre o valor do dano ao erário. Luiz Henrique Lima determinou o encaminhamento de cópia dos autos à Secretaria de Controle Externo de Saúde e Meio Ambiente, para instauração de Representação de Natureza Interna para apurar outras irregualridades apontadas na Tomada de Contas, e também ao Ministério Público Estadual, para as providências cabíveis.

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorShopping abre visitação para clientes conhecerem projetos sustentáveis
Próximo artigoPunky, a Levada da Breca ganhará sequência com mesma protagonista

O LIVRE ADS