Em cinco meses, quase cinco toneladas de drogas foram apreendidas em MT

Drogas chegam a MT via transporte aéreo, terrestre e até mesmo dentro do corpo

Nos cinco primeiros meses do ano, 4,9 toneladas de drogas foram apreendidas em Mato Grosso, pelas polícias Civil, Militar e pelo Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron). Dados foram fornecidos à ocasião do Dia Internacional contra o Abuso e o Tráfico de Drogas, celebrado anualmente, no dia 26 de junho.

O maior volume de apreensão foi registrado no município de Pontes e Lacerda, região de fronteira com a Bolívia: 1,9 toneladas.

Depois de apreendidas pelas forças de segurança estaduais ou federais são incineradas em fornalhas de empresas privadas. Policiais civis, federais, militares, peritos criminais e a imprensa geralmente acompanham o ato de queima dos entorpecentes.

O tráfico de drogas é um dos principais motivos para as prisões em Mato Grosso. Apesar de ser um dos corredores de cocaína do país, a atuação das forças de segurança mato-grossenses é a principal arma de combate ao narcotráfico. Contudo, Mato Grosso cobra uma atuação mais forte do Governo Federal nos 983 km de fronteira no Estado. Os meios de ingressar com a droga são aéreo, terrestre e até mesmo o transporte dentro do corpo.

Para combater o problema, o governo criou núcleo de inteligência integrado na Delegacia de Fronteira (Defron), em Cáceres, instalação de câmeras OCR nas principais vias de transporte na região e postos do Gefron na região.

Prisões

De acordo com informações da PM, só neste ano, mais de 3.280 pessoas foram presas por tráfico, uso ou posse de entorpecentes em Mato Grosso.

Em sua maioria, os presos são pessoas do sexo masculino, somando um total de 2.848 homens presos, e 439 mulheres, por envolvimento com o tráfico ou uso de drogas.

Os menores de idade ainda são os mais recrutados e aliciados por traficantes a se envolverem com os crimes relacionados a entorpecentes. No total, foram 693 jovens e adolescentes apreendidos. Foram 1.818,4 kg de drogas apreendidas por policiais militares, sendo 83% maconha, 12% pasta base de cocaína e 5% cocaína.

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNo Brasil, 80% das pesquisas em educação são desconsideradas pela comunidade acadêmica
Próximo artigoNota fiscal eletrônica para produtores rurais será obrigatória a partir julho