Cheque especial: bancos agora podem cobrar mais uma taxa na sua conta

Procon-MT afirma que a cobrança é ilegal e explica o que você pode fazer para se defender

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A partir dessa segunda-feira (6) bancos de todo o país vão poder cobrar uma taxa de até 0,25% sobre o limite de cheque especial disponibilizado para seus clientes. Uma cobrança que acontecerá mesmo para aqueles que não usarem o crédito, o que, na avaliação do Procon de Mato Grosso, fere as regras do Código de Defesa do Consumidor.

A nova taxa veio junto com a limitação dos juros cobrados no cheque especial. O limite de 8% ao mês foi instituído pelo Banco Central com o argumento de corrigir uma falha de mercado e reduzir os custos para o cidadão.

LEIA TAMBÉM

Na prática vai funcionar assim: o cliente que tiver um limite de cheque especial que supere a marca dos R$ 500 vai ter que pagar a taxa mensal mesmo que não utilize esse dinheiro emprestado pelo banco.

“Sob a perspectiva da defesa do consumidor, você só paga aquilo que de fato usa. Por isso, entendemos que essa parte da remodelagem do cheque especial é desfavorável ao cidadão e desequilibra a relação de consumo”, avalia a secretária adjunta do Procon-MT, Gisela Simona.

E Gisela Simona destaca: mesmo com os juros limitados, 8% ainda é um percentual alto para o consumidor (Foto: Jana Pessôa/Setasc)

Por enquanto, isso só vai valer para novos contratos. Mas a parir de junho os bancos vão poder aplicar essa regra também para clientes antigos. Por conta disso, a orientação que o Procon-MT tem dado aos consumidores é – dentro do possível – reduzir o limite do cheque especial aos R$ 500 isentos da cobrança.

“Principalmente aqueles consumidores que, normalmente, não precisam fazer uso desta modalidade de crédito, o ideal é que reduzam seus limites para o mínimo isento”, explica Gisela.

Vale lembrar, se o seu banco vai aplicar a nova regra ao seu contrato a partir de junho, você precisa ser informado com 30 dias de antecedência.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmpresário morre afogado em lago após acidente com paramotor
Próximo artigoPedágio à vista