Casal é preso acusado de roubar joias e relógios da loja de Ronaldinho Gaúcho

Homem disse que era sócio da empresa e pegou produtos como "forma de pagamento"

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Duas pessoas foram presas pela Polícia Militar, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, na manhã dessa quarta-feira (16), acusadas de terem furtado quase 150 relógios, além de joias e computadores da empresa 18K Ronaldinho, de propriedade do ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho, no estado de São Paulo. O furto teria acontecido durante as festividades de fim de ano.

Segundo o boletim de ocorrência, os policiais estavam em rondas pela Avenida Júlio Campos quando testemunhas informaram que havia um casal vendendo relógios furtados em um posto de combustível. Quando a equipe chegou, conseguiu flagrar dois homens e, dentro do carro, um VW Gol, de cor branca, encontraram 20 relógios da marca 18K.

À polícia eles contaram que pegaram os produtos com outro homem, chamado Altair Moreira, e que os objetos foram dados como pagamento por serviços prestados à empresa dele.

Foto: Divulgação/PMMT

Os militares entraram em contato com Altair, que confirmou ter ainda mais relógios. Com apoio de outras viaturas, os policiais até o endereço dele, em Cuiabá, e encontraram mais 30 relógios da mesma marca.

Novos produtos

Altair contou para a polícia que seria sócio da empresa 18k Ronaldinho, localizada em Barueri (SP), e que pegou os produtos como forma de pagamento por serviços prestados. Ele ainda confessou que, em outro bairro de Cuiabá, tinha uma mala onde estavam diversas joias e dois aparelhos eletrônicos.

Já no endereço, os militares abordaram a esposa de Altair, que mostrou a mala com os produtos e confirmou que eles foram deixados por Altair. Então, os dois acabaram detidos e levados para a delegacia.

Ao todo, foram recuperados 148 relógios da marca 18k, 80 brincos, quatro anéis, 125 correntes, um iMac e um MacBook.

O furto

Conforme noticiado pelo portal Sucesso Network, a empresa de Ronaldinho teria sido roubada entre os dias 30 e 31 de dezembro. O caso teria sido registrado por câmeras de segurança que comprovaram que o ladrão seria um antigo fornecedor de tecnologia, que, ao saber que os serviços seriam dispensados, cometeu o crime.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJovens usam Aeroporto de Sinop para festas, rachas e ações de vandalismo
Próximo artigoFilha entra na UTI e mata o pai injetando veneno para carrapato