Candidato critica alianças partidárias de adversários: “interesses circunstanciais”

O candidato ao Senado Sebastião Carlos (Rede) foi o sabatinado pelo LIVRE nesta segunda-feira (03)

Foto: Felipe Martins / O LIVRE

O candidato ao Senado Sebastião Carlos (Rede) disse durante a sabatina do LIVRE, realizada nesta segunda-feira (03), que partidos não fazem coligação por princípios, mas sim nos interesses pessoais e empresariais. “Por isso não tem a vergonha ou pudor de lançar uma fortuna em uma campanha sabendo que os salários que receberão como parlamentares ou chefes de executivo jamais cobrirão o que foi investido em uma campanha política”.

Sebastião ainda criticou o fato de candidatos que se declaravam adversários e por conta de alianças partidárias se tornam grandes aliados, demonstrando interesses circunstanciais. “Nunca com objetivo de atender aos interesses básicos da população”, pontuou.

O postulante ainda destacou que nunca se corrompeu e que, por isso, seus recursos são poucos para fazer campanha. Ele, que conta com oito segundos de tempo em programa eleitoral gratuito, disse que vai utilizar das redes sociais para buscar votos.

Sebastião também enfatizou que ao analisar o quadro político de Mato Grosso nos últimos 30 ou 40 anos é possível ver os mesmos políticos em busca de voto, o que representa a mesmice.

Ele questiona, por exemplo, o fundo partidário, alegando que o mesmo não favorece a todos de forma igualitária. “São recursos públicos. Por que o fundo partidário, que é um recurso público, favorece os milionários que estão ai há 20, 30 ou 40 anos e impede que um professor, advogado e um filho de um trabalhador possa disputar um cargo público?”, indagou.

Questionado se sentia falta de uma candidata ao cargo de governadora em Mato Grosso, Sebastião disse que muitas mulheres são até mesmo mais competentes que os homens. Porém, afirma não entender a falta de um interesse maior delas para entrar na vida política. “Fiz uma escolha na qual a única mulher que concorre à Presidência da República é do meu partido, a Marina Silva”, observou.

Relacionado a termas considerados polêmicos, o candidato não se furtou de responder nenhuma delas. Relacionado ao aborto, ele disse que é a mulher quem deve decidir o que fazer com o próprio corpo.

Quanto à legalização das drogas o postulante disse ser absolutamente contra. Já ao casamento homoafetivo Sebastião disse ser favorável. Com relação à escola sem partido ele se posicionou contrário.

Confira o vídeo da entrevista na íntegra

Sabatina LIVRE

Conduzidas pelo diretor do LIVRE, Guilherme Waltenberg, e pelo repórter Victor Cabral, as entrevistas são realizadas com os candidatos ao Governo do Estado e ao Senado por Mato Grosso. Cada live tem duração de 30 minutos.

Confira a agenda das próximas sabatinas:

Governo do Estado

Pedro Taques (PSDB) – A definir

Wellington Fagundes (PR) – 06 de setembro, às 15h

Mauro Mendes (DEM) – 12 de setembro, às 15h

Senado

Aladir Leite Albuquerque (PPL) – 10 de setembro, às 15h

Procurador Mauro (Psol) – 11 de setembro, às 15h

Waldir Caldas Rodrigues (Novo) – 13 de setembro, às 15h

Maria Lúcia (PCdoB) – 18 de setembro, às 15h

Nilson Leitão (PSDB) – 20 de setembro, às 15h

*O candidato Jayme Campos (DEM) ainda não confirmou presença na sabatina do LIVRE

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

3 COMENTÁRIOS

  1. MUITO INCOERENTE O DISCURSO DO SEBASTIÃO CARLOS, TANTO QUANTO O DA MARINA! NÃO CONDIZ COM A PRÁTICA DELES! ELES ESTÃO COLIGADOS COM OS PIORES PARTIDOS, OS PARTIDOS QUE MAIS TEM BANDIDOS PROCESSADOS EM VÁRIOS ESTADOS! INCLUSIVE COM O MDB DE TEMER! SÃO MESMICE E ENGANADORES DO POVO IGUALMENTE AS VELHAS RAPOSAS QUE NÃO LARGAM O OSSO. MARINA É UMA VERGONHA!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOperação Catarata: promotor diz que cirurgias foram pagas, mas não realizadas
Próximo artigoWellington Fagundes critica ineficiência de Taques e desvio do Fethab em evento na Famato

O LIVRE ADS