Audiência adiada

Vara da Justiça Militar adia audiência sobre morte do tenente PM Scheifer

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Por conflito de agenda, o juiz Marcos Faleiros, da 11ª Vara da Justiça Militar de Cuiabá, remarcou para daqui a cinco meses a continuação do processo que investiga a morte do 2º tenente Carlos Henrique Scheifer.

Nessa ação, são réus o soldado Werney Cavalcante Jovino, o cabo Lucélio Gomes Jacinto e o sargento Joailton Lopes de Amorim. Todos eram lotados no Batalhão de Operações Especiais (Bope), assim como Scheifer. Eles são acusados de terem participado da morte do oficial durante operação no interior de Mato Grosso.

Uma audiência de instrução para ouvir testemunhas de defesa dos militares acusados na ação aconteceria na próxima semana, no dia 13 de dezembro. Com a mudança, a sessão foi remarcada para os dias 26, 27 e 28 de maio de 2020.

As testemunhas já deveriam ter sido ouvidas em junho, mas a audiência também foi remarcada.

Segundo o magistrado justificou, ele foi convocado pelo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso a acompanhar a inspeção promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na Comarca. O despacho é do dia 27 de novembro.

Na próxima sessão, estão marcados para serem ouvidos os militares que defendem os acusados.

Cronograma

Conforme o juiz, deverão ser ouvidos no dia 26 de maio: o major Saulo Pellegrini Monteiro, o capitão Sávio Pellegrini, major Lucelio Ferreira Martins Faria Franca, tenente-coronel Januario Antonio Edwirges Batista e o 3° sargento Saulo Ramos Rodrigues.

No dia 27, devem comparecer: 1º sargento Leonildo Morbeques, 2° sargento Izaias Ferreira Lobo, major Orlando Vinicius de Souza Coutinho, 3° sargento Lucio Eli Morais, 1° sargento Domingo Sebastião Viana dos Santos, cabo Diogo Muzzi Busato, sargento Paulo Damacena Meira e o sargento Leandro Zuqueti.

Já no dia 28 a audiência será com as testemunhas: Wellington Bessa A. da Silva, Fernando de Souza Neves. Nesse dia também deverá acontecer o interrogatório dos réus.

Depoimentos

Esta será a primeira audiência com testemunhas de defesa dos três militares acusados. Nos dias 3 e 11 de abril, cinco policiais foram ouvidos como testemunhas de acusação, incluindo o ex-comandante do Bope, José Nildo Silva de Oliveira.

Confira como foram os depoimentos aqui.

O LIVRE também fez uma reportagem especial sobre o caso, que pode ser acessada aqui.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS