Vídeo | Morto pela Rotam é enterrado ao som de funk e gritaria

As músicas de funk falavam sobre despedida e opressão

O enterro do jovem Lucas Matheus Campos Arce, 21 anos, morto em confronto com a Rotam no início da noite dessa quarta-feira (30), foi marcado por muito funk em “homenagem” ao rapaz.

Lucas e outros quatro suspeitos (Anderson da Conceição Ferreira, 33 anos, Francisco Júnior de Carvalho, 32, Kelvin Dias Nascimento, 23 anos, e Bryan Christian Rodrigues Pinheiro, 19 anos) morreram na Estrada do Manso, em Cuiabá, após, supostamente, apontarem armas para policiais do Batalhão da Rotam, que reagiram atirando.

O grupo é acusado de pertencer a uma facção criminosa e de ter ido à região do Manso para cometer um crime.

Depois que o corpo de Lucas foi liberado, amigos e familiares se reuniram no Cemitério Parque Bom Jesus, em Cuiabá, onde foram prestadas homenagens ao rapaz.

Em meio a vozes chorosas, funks como a música “Que mundo é esse tão cruel”, dos MC’s Kevin o Chris e Cajá, que fala sobre despedida e opressão. A música “Porque se foi irmão”, do MC Roger, também fez parte do repertório.

Os presentes se emocionaram com as homenagens e cantaram em meio a lágrimas (Veja vídeo abaixo).

O corpo de outro dos cinco mortos, Bryan, segundo o site Notícia Max, também chegou ao cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá acompanhado de um cortejo com colegas pulando, gritando e buzinando.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.