Acrimat comemora liberação da emissão da e-GTA para outras finalidades

Novidade irá facilitar o processo de movimentação animal, fundamental para certificação da carne de MT

Foto: Assessoria

Após apresentação de demanda da Associação dos Criadores de Gado de Mato Grosso (Acrimat), em parceria com o Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (Fesa-MT), o Governo do Estado decidiu ampliar a emissão da Guia de Trânsito Animal Eletrônica (e-GTA).

Segundo o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), a partir de segunda (04) os produtores rurais poderão imprimir a e-GTA para movimentação de bovinos e bubalinos em todo estado, visando a engorda e reprodução, enquanto os médicos veterinários o farão para abate e engorda de suínos.

A proposta era que houvesse a contratação de uma empresa para o desenvolvimento das melhorias do módulo disponível ao pecuarista, aumentando as opções de emissão de GTA para outras finalidades pelo produtor. Atualmente, a e-GTA só está disponível para abate de bovinos e movimentação de galinhas com qualquer finalidade. As novas modalidades disponíveis para e-GTA correspondem a mais de 90% das guias emitidas atualmente pelo Indea, o que vai proporcionar maior agilidade nos trâmites exigidos para o trânsito animal.

A Guia de Trânsito Animal (GTA) é um documento obrigatório para a movimentação de qualquer espécie animal, exceto cães e gatos. Em Mato Grosso, o Indea é responsável pelo documento a apenas em 2018 emitiu 723.718 guias. A abertura do serviço só possível pela segurança oferecida pelo Sistema Informatizado, frequentemente auditado por organismo internacionais interessados na importação de produtos com procedência e certificação sanitária.

O documento foi estabelecido em todo território pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, que também normatizou a impressão da e-GTA por produtores rurais e médicos veterinários habilitados pelo Indea. A guia de trânsito é reconhecida internacionalmente como instrumento integrante da certificação da produção pecuária do Brasil e sua credibilidade depende de registros referentes ao cadastro, estoques de animais, vacinações e outras medidas sanitárias que descrevam exatamente a realidade encontrada nas fazendas e granjas.

A parceria e confiança entre o produtor rural e o Indea-MT foi decisiva para essa conquista, proporcionando uma melhor gestão sanitária do rebanho pelo pecuarista em virtude da facilidade na movimentação animal dentro de todo o território Mato-Grossense.

A medida foi apoiada pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa-MT), Fundo de Sanidade e Desenvolvimento da Suinocultura (FSDS), Sindicato das Indústrias de Frigoríficos do Estado de Mato Grosso (Sindifrigo), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e Associação Matogrossense dos Criadores de Ovinos (Ovinomat).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtenção! Tirar fotos de acidentes é crime e pode dar cadeia
Próximo artigoVídeo | Morto pela Rotam é enterrado ao som de funk e gritaria