Vereadores de Lucas do Rio Verde derrubam projeto que auxilia com aluguel mulheres vítimas de violência

Entre os vereadores da base do prefeito que aprovaram o veto estão as duas únicas representantes femininas da Casa Legislativa, vereadoras Sandra Barzotto e Ideiva Foletto

A Câmara Municipal de Lucas do Rio Verde aprovou o veto do Executivo ao Projeto de Lei 21/2021 de autoria do vereador Marcos Paulista (PTB) que trata de possibilitar auxílio aluguel para vítimas de violência doméstica. A votação aconteceu na sessão desta segunda-feira (13).

O projeto, que altera o Parágrafo Único do Art. 23 e acrescenta o inciso VII o Art. 24 da Lei n° 2104. de 1° de abril de 2013, que regulamenta a concessão de benefícios eventuais no âmbito da política de Assistência Social no município, foi amplamente discutido durante sua tramitação na Câmara. Após passar por duas votações, foi aprovado por unanimidade.
O aumento de casos de violência doméstica durante a pandemia já está quantificado em relatório do DataSenado elaborado entre 2019 e 2020 em todos estados em parceria com o Observatório da Mulher Contra a Violência. Mesmo diante dessa necessidade, o Executivo Municipal vetou a proposta, alegando “inconstitucionalidade”, mesmo já tendo o parecer jurídico e das comissões favorável.

Entre os vereadores da base do prefeito Miguel Vaz (Cidadania) que aprovaram o veto está as duas únicas representantes femininas da Casa Legislativa, vereadoras Sandra Barzotto (Republicanos) e Ideiva Foletto (Cidadania), que derrubaram a possibilidade das mulheres receberem o benefício.

Para Marcos Paulista, autor do projeto, o veto é uma falta de respeito com a população. “Para tudo isso temos os nossos advogados e um amparo jurídico, se existe dúvida, o executivo da um parecer e o legislativo tem outro, temos que ficar no lado da população, e não foi o caso, para o constrangimento de todos, eles foram favoráveis ao prefeito”, ressaltou.

Ainda de acordo com o vereador, após sua assessora divulgar um release à imprensa sobre a votação favorável ao veto, ela teria sido exonerada pelo presidente da Câmara, vereador Daltro Figur (Cidadania). “Ele não gostou e, sem falar com ninguém, a exonerou, passando por cima de mim, do meu suplente Josias e do bom senso”, escreveu Marcos Paulista em sua rede social.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Câmara de Lucas do Rio Verde, “é uma prerrogativa do presidente contratar e exonerar cargos comissionados”, o presidente Daltro Figur não declarou nada sobre o assunto.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorXuxa desabafa sobre aproveitadores em sua carreira: “Dei asas a esses monstros”
Próximo artigoCaixa abre cadastro de corretor e imobiliárias para vendas de imóveis