Vereador é preso em operação contra o tráfico de drogas em VG

Ao todo, 23 mandados de prisão e 33 de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Várzea Grande

(Foto: RDNews)

Cinquenta e seis ordens judiciais são cumpridas na operação “Cleanup”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (19), pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil. Entre os alvos, está o vereador por Várzea Grande Jânio Calistro (PSD), policial civil aposentado.

As ordens judiciais, sendo 23 mandados de prisão e 33 de busca e apreensão, foram expedidas pela 3ª Vara Criminal de Várzea Grande, com objetivo de combater a ação de traficantes que atuam principalmente no município.

Segundo o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, as investigações iniciaram em virtude de uma denúncia anônima recebida pela DRE, a qual foi verificada a atuação de um extenso grupo de traficantes atuante na cidade de Várzea Grande.

O trabalho investigativo durou cerca de 70 dias e permitiu identificar diversas pessoas associadas para o tráfico, sendo realizadas as prisões em flagrante de seis pessoas e apreensão de grande quantidade de drogas em posse dos presos.

A ação contou com a participação da Diretoria Metropolitana (2ªDPCuiabá, DERRFVA, DHPP, Decon, DEDM e Derf, 1ªDP-VG, 2ªDP-VG, 3ªDP-VG e DEDMCI-VG), Diretoria de Atividades Especiais (GOE. GCCO, Polinter, Dema e Defaz), Corregedoria da Polícia Judiciária Civil, e Canil do Sistema Penitenciário, tendo em vista a grande quantidade de ordens judiciais a serem cumpridas na operação.

Nome da operação

Cleanup, traduzindo para o português, significa limpar/limpeza, em alusão a limpeza da intensa criminalidade e violência em Várzea Grande.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSérie da Amazon de O Senhor dos Anéis acha a sua Galadriel
Próximo artigoAL gasta mais de R$ 4 milhões com combustíveis e não consegue comprovar onde carros rodaram

O LIVRE ADS