Venezuelanos que moravam nas ruas de Boa Vista chegam a Cuiabá

(Fotos: Ednilson Aguiar e Jana Pessoa)

Um total de 66 venezuelanos que viviam precariamente em Boa Vista, Roraima, chegaram a Cuiabá em um avião da Força Aérea Brasileira nesta sexta-feira (06).

Eles foram conduzidos com apoio do Exército, da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Pastoral do Imigrante.

O grupo ficará provisoriamente por 45 dias na pastoral do imigrante, no bairro Carumbé.

A ideia dos coordenadores é fazer com que os refugiados fiquem no lar católico até conseguirem emprego para poderem bancar a própria subsistência.

“Muitos bateram palmas porque chegaram aqui. E se sentiram gratos pela chegada. Não sou eu e nem a igreja católica quem os acolheu, é Cuiabá que está acolhendo”, falou o Padre Pedro Freitas, coordenador da Casa do Imigrante.

Segundo informou o coordenador da Agência da ONU para refugiados, Paulo Sérgio de Almeida, cerca de 30 mil venezuelanos estão na capital de Roraima. A vinda por Cuiabá foi oferecida de forma opcional e alguns dos imigrantes acabaram escolhendo ir para outras cidades pelo Brasil.

Os representantes da Pastoral do Imigrantes argumentam que o lar católico não estar superlotado com a chegada dos refugiados. Conforme Pedro Freitas, 90 pessoas estão na casa atualmente, somando-se os atuais 66 venezuelanos aos 30 cubanos que já estavam no local. A capacidade total do lar é de 200 pessoas.

A expectativa é de que nas próximas semanas mais venezuelanos cheguem em Cuiabá, principalmente se os que chegaram hoje conseguirem se estabelecer e arrumar emprego na capital mato-grossense. Para isso, a Pastoral destina o período matutino para que os moradores provisórios procurem por trabalho.

Vivem e trabalham hoje, em Cuiabá, cerca de 2 mil haitianos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDefesa de Lula recorre a Direitos Humanos da ONU para evitar prisão
Próximo artigoÚltimo fugitivo da cadeia pública de Rosário Oeste é recapturado

O LIVRE ADS