PSDB ainda espera contar com o DEM na aliança de Taques

Direção tucana tem missão de fazer articulação política enquanto Taques deve cuidar da gestão

O PSDB ainda tenta manter o DEM na coligação nas eleições deste ano, mesmo diante das ameaças do partido de romper com o governo Pedro Taques (PSDB) e lançar candidato próprio ao Palácio Paiaguás. Líderes do DEM ventilam os nomes de Jayme Campos e Mauro Mendes como possíveis candidatos a governador.

O único líder do DEM que defende publicamente a aliança com Taques é o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Eduardo Botelho, que se filia ao partido na próxima sexta-feira (23). O presidente tucano, Paulo Borges, informou que fará a articulação política para manter a aliança.

“Vamos exaurir todas as possibilidades de diálogo com o DEM”, garantiu Borges ao LIVRE. “Estamos conversando com todos os partidos aliados, para buscar o máximo de apoio”, completou.

Em reunião da executiva estadual do PSDB na sexta-feira passada (16), ficou definido que a articulação política para a aliança eleitoral será feita pela direção do partido, enquanto o governador terá a missão de se dedicar à sua gestão. O presidente do partido vê na reforma do secretariado uma oportunidade de manter aliados e conquistar outros, mas disse que qualquer decisão sobre isso caberá a Pedro Taques.

“É o governador que vai tocar essa questão de nomeação de secretários. Nem conversamos sobre isso”, afirmou. Líderes do DEM têm demonstrado insatisfação com o espaço obtido pelo partido no governo, que não tem nenhuma indicação no primeiro escalão. Na semana passada, o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM) entregou a liderança do governo na Assembleia Legislativa.

Pelo menos cinco secretários deixam o cargo nos próximos dias para poderem ser candidatos nas eleições deste ano, dentre eles, dois tucanos: o secretário de Cidades, Wilson Santos, e de Desenvolvimento Econômico, Carlos Avalone. Também anunciaram candidatura o chefe da Casa Civil, Max Russi (PSB), o secretário de Educação, Marco Marrafon (PPS), de Agricultura Familiar, Suelme Fernandes (PSB), e de Cultura, Kleber Lima (SD). Diversos integrantes do segundo escalão também devem se desincompatibilizar para entrarem na corrida eleitoral.

Segundo Borges, no encontro tucano também foram reafirmados os projetos de lançar Taques à reeleição e do deputado federal Nilson Leitão ao Senado. “Taques e Leitão são nossos pré-candidatos. Quanto às demais vagas da chapa majoritária, vamos dialogar com os partidos aliados”, disse.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno do Estado e Ministério do Desenvolvimento realizam capacitação em Cuiabá
Próximo artigoO propósito de Silval na terra

O LIVRE ADS